Comerciantes e moradores do Sítio Cercado estão na expectativa quanto ao resultado da instalação de 27 câmeras de monitoramento no bairro. As imagens são acompanhadas pela equipe da Guarda Municipal de Curitiba. É o primeiro bairro fora da região central a contar com estrutura como esta. “Aumenta a sensação de segurança. Em algumas lojas foi necessário contratar segurança privada depois de assaltos”, conta Marili Ribeiro Ricas, que trabalha numa loja na Rua Izaac Ferreira da Cruz.

As câmeras estão instaladas em 17 pontos do Sítio Cercado, principalmente nas ruas Tijucas do Sul, São José dos Pinhais e Izaac Ferreira da Cruz. Os equipamentos conseguem aproximar as imagens ao ponto de identificar a pessoa com nitidez, além de acompanhar o que acontece no local em 360 graus. A central para onde as imagens são enviadas já está funcionando. “A estrutura é similar com a que já existe no centro da cidade. A única diferença está nos equipamentos, que são mais avançados. Vão ajudar muito na segurança da região”, afirma o inspetor Adélcio Lopes, chefe do núcleo da Guarda Municipal e Defesa Social no Bairro Novo/Sítio Cercado.

Gerson Klaina
Contato direto com a central.

Testes

De acordo com ele, as imagens vão otimizar o trabalho dos agentes de segurança. Em casos de danos ao patrimônio, por exemplo, a equipe da Guarda Municipal será acionada para ir até o local por um dos guardas que trabalham na central de monitoramento. Em situações mais graves, como assalto, a Polícia Militar será chamada e a Guarda Municipal dará apoio. Guardas receberam o treinamento da empresa responsável pela instalação do sistema, implantado no Sítio Cercado por meio de convênio entre o município e Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania do Ministério da Justiça. Segundo o inspetor Lopes, a central está em fase de testes diante da adaptação dos guardas municipais.

Redução na violência

A população poderá fazer contato direto com a central de monitoramento por meio de comunicadores instalados em alguns postes onde estão as câmeras. Automaticamente, o sistema vai procurar a imagem de quem está fazendo a chamada. Se uma situação suspeita for detectada por um guarda municipal na central, ele pode acionar a sirene para alertar a população. “Em julho, foram instaladas seis câmeras na regional do Bairro Novo e as ocorrências diminuíram bastante. Nas praças havia problemas de vandalismo e uso de drogas e as ocorrências reduziram em pelo menos 50%”, salienta o inspetor Lopes. As imagens ficarão armazenadas por 30 dias. Curitiba já conta com 173 câmeras de monitoramento.