Temperaturas baixas e dias chuvosos são constantes em Curitiba, que é considerada a capital mais fria do país. Para não utilizar o mal tempo como desculpa para fugir da prática de atividades físicas, a supervisora técnica de ginástica na Viva Esporte Academia, Caroline Bertholdi, indica o spinning, modalidade de ciclismo indoor que é praticado em ambientes fechados.

Segundo Caroline, o spinning é acessível a grande parte do público, não tem restrições de idade ou peso e o equipamento pode ser regulado de acordo com a altura do praticante. “Outro diferencial da atividade é que provoca menos impacto nas articulações em comparação ao ciclismo ao ar livre, principalmente nos membros inferiores e coluna”, diz Caroline.

O spinning simula percursos com subidas, retas e obstáculos. Com diferentes tipos de exercícios, o praticante do esporte aprende a pedalar em pé, sentado e a dar saltos nos diferentes planos do simulador. A prática auxilia no aumento da resistência cardiovascular e define coxas, pernas, glúteos, abdômen e braços. Os exercícios trazem benefícios estéticos e também contribui com o controle do diabetes.
 
Queimando calorias

Fatores metabólicos, dieta, sono e hábitos saudáveis devem ser considerados no cálculo de queima de calorias durante as pedaladas no spinning. Em média, uma pessoa pode gastar cerca de 700 calorias em uma hora do exercício.  Para alcançar esta marca é aconselhado, no mínimo, 150 minutos (2,5 horas) de atividades físicas semanais ou três aulas de spinning com a duração de 45 minutos durante três vezes por semana.

Também é importante para a prática de atividades físicas o acompanhamento de um profissional especializado, que indicará a frequência correta dos exercícios. “Ingerir líquidos, como água e isotônicos, antes, durante e após as aulas também é indicado para melhorar o desempenho”, conclui Caroline.