Um possível caso de meningite em uma criança que estuda na Escola Municipal Anita Miró Vernalha, localizada no balneário Ipanema, litoral do Estado, está causando divergências entre a Vigilância Epidemiológica de Pontal do Paraná, a Divisão de Atenção à Saúde de Paranaguá e a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa).

Enquanto a Sesa informa que o caso foi de meningite causada por uma bactéria – embora o tipo de bactéria não tenha sido descoberto nos exames – a Epidemiologia de Pontal e a Regional de Saúde de Paranaguá dizem que foi descartada esta hipótese. A menina de seis anos de idade ficou mais de uma semana internada no hospital de Paranaguá, mas já teve alta e passa bem.

A escola ficou fechada por um dia para limpeza, mas segundo a direção do local, já funciona normalmente. Outro menino que também estuda no colégio fez exames porque estava com dores de cabeça, mas segundo o chefe da Divisão de Atenção à Saúde de Paranaguá, Frank Tsuiki, foi diagnosticado com cefaléia, e não com meningite.

Já com relação à menina que está causando as divergências, ele afirma que foi descartada a hipótese de meningite bacteriana. “Até ontem (segunda-feira) tínhamos a suspeita, mas não houve desenvolvimento de bactérias”, afirmou. A mesma informação foi repassada à reportagem no setor de Epidemiologia da Prefeitura de Pontal do Paraná.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Pontal também informou que não foram registrados casos de meningite na escola e que tudo não passa de brigas políticas.

Já a chefe da Divisão de Doenças Transmissíveis da Sesa, Nilce Hayda, afirmou que o caso da menina, é sim, de meningite bacteriana. “O que ocorreu foi que não conseguimos detectar o tipo de bactéria. Mas o fato de não termos descoberto a causa etiológica não descarta a doença”, explicou.

A meningite é uma doença grave, que pode ser fatal. Ela não atinge apenas crianças, mas também acomete bebês e adultos. A doença atinge o sistema nervoso central, e pode ter vários causadores, como bactérias, vírus, protozoários, parasitas e até intoxicações.

Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça e vômitos. Em bebês, deve-se notar a parte de trás da cabeça, que fica distendida. A doença transmitida por bactérias não é contagiosa.

Existem mais de 14 tipos de doenças meningocócicas e as vacinas estão disponíveis em alguns casos. Segundo Hayda, para prevenir é importante manter os ambientes arejados, tossir sempre com uma proteção na boca, lavar bem as mãos, alimentar-se bem para evitar quedas na imunidade e, ainda, evitar a auto-medicação, que pode mascarar a doença.