Foto: João de Noronha/O Estado
Discagem com atenção.

Os números de telefone fixo de Curitiba e municípios da Região Metropolitana passaram a ter oito dígitos há mais de um ano. Porém, ainda existem pessoas que não se acostumaram com a mudança e fazem confusão no momento de acionar as teclas de seus equipamentos telefônicos. Ao tentar discar para amigos, familiares, estabelecimentos comerciais e outros destinos, acabam digitando os números de forma incorreta.

Um dos erros mais comuns é teclar nove dígitos ao invés de oito. Isso acontece principalmente com pessoas que desconhecem o fato de as listas telefônicas publicadas este ano já trazerem os números com oito dígitos, não sendo necessário acrescentar um três a mais na frente dos mesmos. "Os números das listas atuais já estão no novo formato. Por isso, a população deve ficar atenta", informa a empresa Brasil Telecom, através de sua assessoria de imprensa. A bancária Ana Talizi Florindo, que mora na capital, enfrenta o problema diariamente. Os primeiros números de seu telefone residencial são 33240. Porém, ela vive recebendo em sua casa ligações feitas para o Hospital Nossa Senhora das Graças, cujos quatro primeiros números de telefone são 3240. "Ao discarem o número do hospital acrescido de mais um dígito, as pessoas acabam anulando o último número e ligando para minha casa", explica.

Ana afirma estar cansada da confusão. Ela conta que, na madrugada da última segunda-feira, recebeu quatro ligações destinadas ao hospital. "Devido ao horário, acordei assustada, já imaginando que havia acontecido alguma coisa com alguém de minha família. Os enganos acontecem diariamente. O pior é que às vezes eu explico para as pessoas que elas discaram um três a mais e elas pensam que eu sou alguma funcionária do hospital que está de má vontade e não quer atendê-las".

A Brasil Telecom confirma que quando uma pessoa disca nove dígitos seu sistema reconhece que está sendo feita uma ligação local e anula o nono número discado. Por isso, recomenda atenção à população e informa que casos como os da bancária são considerados pontuais e pouco comuns. "A mudança para oito dígitos foi considerada de rápida assimilação pela população. Porém, cabe o alerta para que as pessoas fiquem atentas".

Segundo a empresa, a mudança para oito dígitos foi realizada por exigência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que determinou que até o final do ano passado todos os telefones fixos brasileiros teriam que deixar de ter sete números. No Paraná, as mudanças começaram em 12 de março de 2005.