Henri Jr./O Diário do Norte do Paraná

Segundo comerciantes, o local não recebe manutenção há anos. Prefeitura já anunciou reforma.

Uma parte da cobertura de aço que circunda a antiga rodoviária de Maringá, região noroeste do Paraná, desabou no começo da tarde de ontem. A rodoviária fica no centro da cidade e abriga um terminal rodoviário de ônibus metropolitano e uma rede de lojas populares. A queda teria acontecido porque parafusos da viga que sustentavam a parte da cobertura que desabou se soltaram devido à ferrugem.

Os comerciantes dizem que o local não recebe manutenção há anos, estando com sua estrutura bastante prejudicada e apresentando outros problemas, como goteiras. Ninguém ficou ferido, já que assim que perceberam que a cobertura estava cedendo, as pessoas correram para fora do local.

Após o acidente, um guindaste da Prefeitura de Maringá serviu para dar apoio ao restante da cobertura. A administração municipal enviou técnicos para o local. Os operários pretendem colocar andaimes para dar sustentação ao restante da cobertura, que pode cair completamente e causar maiores estragos ao terminal rodoviário. Toda a área dentro e ao redor da antiga rodoviária foi isolada para o trabalho dos técnicos.

As 45 lojas ficarão fechadas até que as estruturas não ofereçam riscos para funcionários e usuários do terminal. O trabalho de desmontagem da estrutura metálica será executado nos próximos dias e, enquanto isso, os ônibus das linhas metropolitanas atenderão os usuários em pontos localizados ao lado da Praça Raposo Tavares e na Avenida Tamandaré.

Reforma

A Prefeitura informou que já estava em seus planos reformar o local desde o anúncio, no fim do ano passado, de que colocaria em prática o Plano Diretor para urbanizar a região denominada Gleba C do Novo Centro de Maringá, promovendo também a revitalização da área onde está incorporado o prédio da antiga estação rodoviária.

De acordo com o secretário do Desenvolvimento Urbano, Planejamento e Habitação (Seduh), Guatassara Boeira, a idéia original era manter o prédio da antiga rodoviária para preservar um patrimônio histórico do município. Mas, segundo ele, tudo será estudado e definido com os proprietários das lojas. O prédio da rodoviária foi construído em 1963 e atualmente pertence 55% ao município e o restante aos lojistas.

?O que se quer é transformar toda a quadra da antiga rodoviária em um espaço dinâmico, moderno e de utilização comercial compatível com uma região central dotada de equipamentos culturais e grande fluxo de pessoas?, diz Boeira.