A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) atingiu ontem a meta estadual da segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite, que previa a imunização de 95% da população com idade entre zero e cinco anos incompletos.

Até o início da tarde de ontem, já haviam sido aplicadas 732.408 doses da vacina. Quem ainda não levou o filho para vacinar tem até o final da tarde de hoje para fazê-lo.

Na capital, a meta já havia sido atingida na última segunda-feira. Até às 8h20 de ontem, de acordo com a Central de Vacinas da Secretaria Municipal de Saúde, tinham sido imunizadas 122.616 crianças, o equivalente a 101,9% do total de crianças com idade inferior a cinco anos.

O fim do período da campanha, anteriormente previsto para o dia 14 de agosto, foi prorrogado pela Sesa até hoje. Para esta segunda etapa da vacinação, a Sesa disponibilizou 1,5 milhões de doses em 4,1 mil postos espalhados pelos 399 municípios do Paraná.

Segundo a Sesa, o cumprimento da meta de imunizar 95% das crianças menores de cinco anos dificulta o aparecimento de casos isolados da doença. Conforme o Ministério da Saúde, o último caso de pólio no Brasil foi registrado em 1989, no município de Souza, na Paraíba.

No Paraná, o último caso da doença foi registrado em 1986, no município de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Desde setembro de 1994, a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) conferiu o certificado de erradicação do poliovírus selvagem nas Américas.

Impresncindível

Contudo, o secretário de Saúde do Paraná, Carlos Moreira Júnior, ressalta que a vacinação é imprescindível para que o vírus continue erradicado no Estado. “Não podemos descuidar.

A disseminação do vírus da gripe A é um exemplo de que, com a globalização, um vírus pode se espalhar pelo mundo num período de três meses. Por isso, é importante fazermos o dever de casa”, disse.