Terminou nesta segunda-feira (14), às 17h, o prazo para o recadastramento dos taxistas de Curitiba, porém, a Urbs, empresa responsável por gerir e fiscalizar a frota de táxi da capital, não confirmou o número de profissionais que se regularizaram. A previsão é que uma estimativa seja divulgada nesta terça-feira (15).

Segundo a assessoria da Urbs, os permissionários que não entregaram a documentação serão alvo de uma revogação de sua permissão por parte de uma procuradoria jurídica da empresa. Além disso, os taxistas que entregaram a documentação, porém conta com alguma irregularidade, também poderão ter sua permissão revogada.

Todas as placas revogadas darão origem a novas vagas que estão disponíveis em uma nova licitação, que não relação com o projeto que prevê mais autorizações.

Entenda o que muda

Outro ponto importante do recadastramento é a mudança na forma de atuação dos taxistas. Pelo modelo atual, os profissionais são permissionários, ou seja, sem prazo determinado. Com os novos moldes, os profissionais serão considerados autorizatários, com função máxima de 35 anos.

De acordo com o novo regulamento, os táxis deverão rodar por, no mínimo 12 horas diárias, sendo que 30% das horas de atividade precisam ser conduzidas pelo próprio autorizatário, além de o veículo ser posterior a 2009.