A retirada do produto tóxico BHC (Hexabenzeno de Cloro) – usado como agrotóxico nas plantações de café até meados da década de 1980 -, iniciada na última segunda-feira em Maringá, noroeste do Estado, terminou ontem, com a rotulagem dos tambores.

Hoje as cerca de 20 toneladas do agrotóxico removido e solo contaminado devem passar pela pesagem e serem transportadas até Taboão da Serra (SP), onde serão incineradas, de acordo com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

Levantamento de 2002 da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento constatou a existência de 154 toneladas do produto no Estado. E estima-se que ainda haja outras duas mil toneladas enterradas ou escondidas.

Já sancionada pelo governador Roberto Requião, a Lei n.º 16.082 estabelece prazo de seis meses a partir da publicação, que ocorreu em abril, para que agricultores informem a guarda de BHC ou qualquer outro agrotóxico proibido. Para isso, os agricultores devem procurar os escritórios regionais do IAP, Emater ou cooperativas e sindicatos rurais.