Lucimar do Carmo
Moradores reivindicam a limpeza do local, que está desocupado e sem muros há anos.

Moradores vizinhos à Rua Ângelo Breseghelo, no Bairro Alto, em Curitiba, estão sofrendo com acúmulo de lixo em um grande terreno nos fundos de um condomínio. O local está desocupado e sem muros há algum tempo, mas este ano os moradores contam que a situação piorou. No terreno é possível encontrar muito entulho de construção, diversos sacos de lixo abertos, pneus velhos, que podem ser focos de dengue, móveis usados e mato alto. Além do lixo, os moradores contam que o local também virou ponto de consumo de drogas.

?Aqui na redondeza tem diversas construções. E o pessoal despeja tudo ali. A gente vê movimento de caminhões até de noite?, contou a moradora do condomínio Maristela Moro. Ela disse que já ligou diversas vezes para a Prefeitura, mas como a área é particular o município só pode multar e, eventualmente, limpar e mandar a conta para o proprietário. ?Eles dizem também que temos que tirar fotos das placas dos caminhões, mas é complicado?, reclamou. Maristela afirmou que a Prefeitura limpou o local umas três vezes no ano, mas não é suficiente porque a sujeira acumula muito rápido. ?O que eu mais tenho medo é da dengue.?

Uma outra moradora do condomínio, Cristina Corrêa, contou que moscas e baratas entram nos apartamentos por causa do lixão. Os apartamentos do fundo do condomínio têm vista para o terreno. O marido de Cristina, Marcelino Corrêa, já entrou em contato com a Prefeitura e com o Hospital Vita, que era proprietário do local até agosto, para que fechassem o terreno. Nunca obteve sucesso. A área também fica nos fundos do hospital.

O Vita limitou-se a repassar o nome do novo proprietário e não deu explicações sobre a situação do terreno antes de agosto. O novo responsável pelo terreno, segundo consta na certidão de registro de venda, é a sociedade Curitiba Land (LLC), com sede nos Estados Unidos.