Terrenos ociosos que poderiam se tornar depósitos de lixo e pontos de insegurança nos bairros podem ser transformados em áreas de lazer. A Prefeitura de Curitiba recebe pedidos feitos pela população através das administrações regionais e pelo telefone 156. Dentro das possibilidades de orçamento, cria nos terrenos pertencentes ao município jardinetes, parques e bosques.

No ano passado, essas ações criaram, somente na região do Boqueirão, um eixo de animação de 44 mil metros quadrados ao longo do córrego Alto Boqueirão. Nos últimos dois meses, quatro novas áreas receberam melhorias: Lindóia, Umbará, Pinheirinho e Boqueirão. “É uma parceria entre a Prefeitura e a comunidade. A população identifica as regiões que precisam de áreas de lazer e pedem às administrações regionais, especificando terrenos degradados que podem ser urbanizados. As áreas junto aos fundos de vale e que viram depósitos de lixo são prioritárias”, explicou o secretário municipal do Meio Ambiente, Ibson Campos.

A maior área de lazer, criada em maio e junho, fica no Umbará, extremo sul da cidade, entre as ruas Deputado Pinheiro Júnior e Irmã Vitorina Meneghetti. Um terreno de 3,2 mil metros quadrados, antes ocioso e mal freqüentado, hoje abriga um playground, muitas árvores, bancos e uma cancha de areia com alambrado. A área recebeu também ciclovia e nova iluminação. “Esse era um lugar violento, abandonado e muito perigoso. Hoje temos um espaço maravilhoso que nos traz oportunidade de lazer às nossas crianças”, afirmou o presidente da Associação de Moradores do Marupiara, Natal Padovani. Segundo ele, a praça atende a um pedido de pelo menos seiscentas famílias da região.

Qualidade de vida

No Lindóia, administração regional do Portão, uma outra área de 1,3 mil metros quadrados virou um jardinete com playground, bancos, calçada, paisagismo e nova iluminação. Trata-se de um terreno em triângulo, entre as ruas Conde dos Arcos, Galileu Galilei e Santa Bernadethe, que tinha se tornado um depósito de lixo. Hoje, o cenário é outro. O jardinete virou local de ensaio para Fernando Jesus e Marcelo Rabelo, que vão tocar violão nos bancos da pracinha. “Antes, a gente não podia nem andar por aqui. Agora, ficou tão bonito que ajuda até a despertar a inspiração”, disse Fernando.

No Pinheirinho, a presidente da Associação de Moradores do Sul do Capão Raso, Maria Raimunda Alves, acompanha rigorosamente a conclusão do jardinete que ela ajudou a pedir. A área fica ao lado da Escola Municipal José Lamartine Corrêa de Oliveira, onde estudam 510 crianças, e que também acumulava lixo. Agora, está se tornando uma área de lazer. “As pessoas que mais vão gostar dessa obra são as mães das crianças da escola. Elas vão ficar bem tranqüilas em saber que as crianças não vão mais atravessar aquele terreno sujo e cheio de lixo”, garantiu Raimunda.