Foto: Chuniti Kawamura/O Estado

Além de deixar rua estreita, cheiro de lixo na região é insuportável. Ayrton Weber, morador do Abranches, cobra melhorias.

Terrenos baldios servindo de depósito de lixo. Este continua a ser um problema crônico em Curitiba. Ontem, a reclamação veio do bairro Abranches. No terreno da esquina entre as ruas Charles Dickens e Augusto dos Anjos, ao invés de calçadas, mato e lixo invadem o asfalto. Vasos sanitários acumulando água, restos de alimentos cobertos com grama cortada da vizinhança e algum entulho. De um lado falta educação aos próprios moradores, para que não joguem o lixo. De outro falta consciência do proprietário, para que faça a manutenção do local. Nessa situação quem sofre é quem não tem culpa.

Ayrton Weber, morador da Rua Charles Dickens – duas casas depois do terreno – reclama dos transtornos que o lixo jogado traz. Como ele mostra, o terreno é cercado e exatamente onde está a sujeira há uma placa da Prefeitura que alerta sobre a pena de multa por depositar o lixo. ?Quando faz sol o cheiro desse lixo é insuportável. Além disso, aqui fica cheio de moscas e mosquitos. Sem contar que todo esse mato e o material jogado estão cada vez mais invadindo o asfalto?, queixa-se.

Além do terreno de esquina com a Rua Augusto dos Anjos, há pelo menos outras três áreas com o mesmo problema na região. Na mesma Rua Charles Dickens, no meio da quadra, há outro caso. Também na Rua Manoel Aranha existe mais lixo jogado em áreas desocupadas.

Segundo a Secretaria Municipal de Urbanismo, a fiscalização tem sido intensificada. Quando há esse tipo de denúncia, a população liga para o 156. Dada a informação, a Prefeitura envia uma equipe para vistoriar o local e tentar entrar em contato com o proprietário do terreno baldio. Esse é notificado e, se o problema persistir, a multa é de cerca de R$ 400.

Se o problema não for resolvido, após a publicação da notificação em edital, a Prefeitura faz a limpeza do terreno e quem paga é o proprietário. ?A Secretaria Municipal de Urbanismo está contratando os serviços de limpeza e roçada das áreas abandonadas e lançará os valores em dívida ativa do município. Os proprietários serão informados da dívida por correspondência?, como traz uma matéria disponível no site da secretaria.

Sobre a situação do terreno na esquina entre as ruas Charles Dickens e Augusto dos Anjos, na Vila Diana, no bairro Abranches, a Prefeitura informa que o mesmo problema foi reclamado em 2004, e as providências na época foram tomadas. Porém, uma nova denúncia foi feita no último dia 16. A Prefeitura já esteve no local e o processo está em trâmite pela regional do Boa Vista.