A Tim Celular S/A foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar uma indenização de R$ 5 milhões a uma ex-funcionária que tinha horários de banheiro controlados, era avaliada diante dos colegas e sofria ameaça de mudança de horário, para pior, caso faltasse ao serviço.

A sentença é do juiz Felipe Augusto de Magalhães Calvet, da 8.ª Vara do Trabalho de Curitiba, da qual cabe recurso.

O valor da indenização foi aumentado significativamente em relação a sentenças envolvendo situações semelhantes por que, diante de “valores ínfimos”, a empresa não vinha manifestando “qualquer interesse em ajustar o ambiente de trabalho, sendo mais barato pagar eventuais ações trabalhistas”.

Uma testemunha confirmou que a ida ao toalete era considerada pelo sistema como “pausa descanso” e que, fora dessas pausas, era necessário mandar um e-mail para o supervisor solicitando autorização.