Em Curitiba, não é difícil ser cidadão. A comodidade da internet contribuiu pra agilizar o atendimento a todos os que buscam obter seus documentos e começar a exercer a cidadania, diminuindo cada vez mais a burocracia. Porém, é verdade que a informatização também tem o viés negativo, que excluí aqueles que não possuem à sua disposição um computador com acesso ao mundo virtual. Mas até nisso Curitiba pode se considerar privilegiada. Segundo levantamento de 2012, é a terceira capital brasileira com maior número de casas com computadores, com 62,71% dos domicílios, e em 71,29% deles o acesso é através da banda larga.

O Paraná Online foi aos postos de atendimento pra conferir a emissão de diversos documentos indispensáveis ao cidadão. Logo na primeira parada, no Instituto de Identificação, foi possível perceber que quem procurar o serviço sem um agendamento prévio sairá frustrado. Apesar da informação oficial do diretor do instituto, Maurício Lopes, de que os postos devem buscar realizar um “encaixe” pra quem não realizou o agendamento, a realidade encontrada foi outra.

Mesmo com a fila vazia e sem esperar nem um minuto, o repórter tentou uma segunda via da Carteira de Identidade, munido com todos os documentos em mãos. Mas no balcão foi informado que o local apenas realiza atendimento via solicitação na internet. Ouviu que apenas as 20 primeiras pessoas que chegam antes das 8h, horário do início do atendimento, sem o devido agendamento, são atendidas.

No balcão ainda foi aconselhado a buscar o serviço de uma “lan house” pra proceder com a solicitação.
A informação foi esclarecida pelo diretor Maurício Lopes. “Esse dado não procede, pois a informatização é pra facilitar a vida de todos. Mas ainda há muitas pessoas que não dispõem de ferramentas pra realizar o agendamento, por isso ainda fazemos a identidade através de um ‘encaixe’ (abrir uma exceção) em todas as nossas sedes”, afirma Lopes.

Clique na imagem para ver em tamanho maior!