O Tribunal de Justiça do Paraná ganhou um prédio anexo que vai desafogar os trabalhos no Palácio da Justiça. A inauguração foi feita ontem pelo presidente do tribunal, desembargador Oto Luiz Spon-holz, que deixa o cargo na terça-feira. A obra custou cerca de R$ 42 milhões e possui mais de 28.500 metros quadrados.

Segundo Sponholz, o novo espaço vai possibilitar a ampliação das salas de sessões, de grupos e câmaras, se traduzindo em uma maior agilidade no julgamento dos processos. Além disso, desembargadores e funcionários terão mais conforto para trabalhar, muitos estavam atuando em gabinetes improvisados. "Nos últimos anos, as acomodações físicas do Poder Judiciário não acompanharam a estrutura necessária para a adequação ao constante volume de processos", ressalta.

O novo edifício vai concentrar a estrutura central do TJ, liberando o Palácio da Justiça para abrigar outros departamentos do tribunal. Sponholz cita que muitos departamentos estavam em casas alugadas, espalhadas pela cidade, e havia dificuldade de comunicação entre os órgãos.

Transmissão

No dia primeiro de fevereiro, Sponholz transmite o cargo para o desembargador Tadeu Marino Loyola Costa. Ele faz um balanço positivo do tempo em que esteve na presidência. "Creio que houve mais fatos positivos do que negativos. Contribuí para o avanço do Poder Judiciário", fala. Ele citou como exemplos a criação de juizados especiais, três varas criminais em Londrina e duas em Foz do Iguaçu. Além disso, um concurso público deve incorporar mais 700 membros ao Judiciário.

A criação do anexo faz parte de um extenso cronograma de obras que vem sendo realizado pelo TJ. Estão sendo construídos 25 novos fóruns, sendo que 15 deles já estão concluídos e 28 passaram por reformas e ampliações. Também está prevista a construção dos anexos de Cascavel e Londrina.