O diretor executivo do Jockey Club do Paraná, Ricardo Cansian Netto, afirmou, após o fechamento da edição de ontem, que o tombamento do patrimônio do Jockey, pela Secretaria Estadual da Cultura, não impede a construção do shopping center planejado pela Rede Sonae para o local. Segundo Cansian, que foi pego de surpresa pela notícia do tombamento, publicada ontem por O Estado, as obras de construção do shopping serão iniciadas a partir de julho.

De acordo com o diretor, havia há algum tempo um processo de tombamento, mas ele dependia de um decreto do governador e a conclusão não foi informada oficialmente ao clube. De todo modo, afirmou Cansian, “uma coisa não tem a ver com a outra”, já que a área onde vai ser construído o shopping está fora da área de proteção ao bem tombado.” O projeto do shopping, que deve ter investimento de R$ 140 milhões, prevê a construção de 240 lojas.

Um eventual interesse histórico e arquitetônico dos imóveis do Jockey foi levada em conta pelos empreendedores, afirma Ricardo Cansian. “Nossa inscrição imobiliária na Prefeitura já tinha uma anotação de que havia interesse de tombamento, mas todas as exigências com relação a isso foram atendidas para a execução do empreendimento do Sonae”. O que está sendo tombado, diz ele, são as arquibancadas e a raia, “que fazem parte de um conjunto e não têm nenhuma implicação quanto ao shopping.”

Por causa de tal anotação na matrícula do imóvel, a Secretaria Estadual de Cultura teve de ser consultada pela Prefeitura, quando foi iniciado o Relatório Ambiental Preliminar, documento exigido para que a construção do shopping center pudesse ser autorizada. “A secretaria deu parecer favorável”, afirma Cansian. Para conseguir essa aprovação, os empreendedores teriam atendido a exigências feitas pelo Patrimônio Histórico quanto ao afastamento mínimo entre o novo edifício e as instalações originais do clube.

Freqüentadores do Jockey Club afirmam que as arquibancadas que estão sendo tombadas têm pouco da construção original. Na menor delas, foi acrescentada uma tribuna e houve modificações na área interna. Na arquibacnada central, há mais de 20 camarotes novos e a terceira, que é alugada para a promoção de festas, também foi alterada.