Um grupo de 14 trabalhadores da construção civil realizou ontem um protesto em frente à sede da Companhia de Habitação Popular (Cohab), em Curitiba. Os pedreiros alegam que a empreiteira contratada para realizar as obras de construção de 54 casas populares previstas pelo projeto Sítio Cercado 4 não efetivou os respectivos pagamentos. Os trabalhadores foram recebidos pelo gerente responsável pelo Departamento de Obras do órgão, que se comprometeu a analisar uma forma de mediar a resolução do impasse. A Cohab informou que o cronograma da obra está dentro do prazo e as casas deverão ser entregues aos novos moradores até o final do ano.