Com 85 mil empregos diretos, representa 8,12% da população ocupada no Paraná. Somando toda a força de trabalho direta e indireta, é responsável por 18% do PIB paranaense. É riqueza que não acaba mais, já que em 2016 faturou R$ 70 bilhões e recolheu R$ 1,5 bilhão em impostos. Que negócio é esse com números tão impressionantes? Estamos falando do cooperativismo. Aliás, não se fala em crise neste setor, que planeja crescer ainda mais ano que vem e comemora sua data nesta quinta-feira, 19 de outubro.

Mas você sabe o que é uma cooperativa? Como ela funciona? O ditado popular ‘a união faz a força‘ explica bem. Bons exemplos estão no setor agropecuário. Imagine vários produtores rurais de uma determinada região trabalhado associados, unidos, organizados. Um produtor, sozinho, provavelmente não conseguiria investir em maquinários melhores, insumos a bons preços, fazer cursos de aperfeiçoamento, conseguir crédito para investir na sua produção, entre outros fatores.

Unidos, os produtores conseguem tudo isso mais facilmente, além de trocarem informações, receberem orientações de especialistas para melhorar a produção e colheita. Na hora de vender a produção, eles se unem e conseguem negociar melhores lucros com os compradores. E no final de cada ano, as cooperativas fazem seu balanço e os lucros gerados são distribuídos aos cooperados. Sem contar as ações sociais de melhoria da comunidade onde estão inseridos (plantio de árvores em beira rios, recepção de donativos para determinada comunidade, entre outras centenas de exemplos).

Apesar da união, os cooperados continuam tendo sua independência e direito de opinar igualmente na gestão da cooperativa. Mas não é somente no setor agropecuário que elas funcionam. Elas atuam em mais de 13 tipos ramos diferentes pelo País. As mais populares, conhecidas do público, são as de crédito e as de saúde.

Crise?

O setor cooperativista tem perspectiva de fechar 2017 com 9% de crescimento no Paraná, ou seja, R$ 78 bilhões de faturamento, revela Nelson Costa, superintendente da Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar), O agronegócio, especificamente, diferente dos demais setores da economia, não sofreu tanto com a recessão nos últimos três anos. Teve seus problemas em 2015 e 2016, especialmente no setor de carnes. Mas já se recuperou e vai crescer.

Hoje, uma das cooperativas paranaenses iniciará a construção de um frigorífico de suínos em Assis Chateaubriand, uma das maiores do País, com capacidade de abate de 15 mil suínos ao dia. Amanhã, em Palotina, outra cooperativa estará investindo na construção de uma indústria de peixes, um investimento de R$ 120 milhões e que irá gerar centenas de empregos na região e atividade adicional aos produtores locais. ‘Pra nós, crise é coisa passada. Não adianta ficar chorando. Tem que se reinventar. E estamos retomando um novo ciclo de desenvolvimento‘, diz Nelson, confiante.

RAMOS DE ATUAÇÃO

Agropecuário – compostas por produtores rurais ou agropastoris e de pesca.

Consumo – são dedicadas à compra em comum de artigos de consumo para seus cooperados.

Crédito – destinadas a promover a poupança e financiar necessidades ou empreendimentos dos seus cooperados.

Educacional – pode ser de professores, organizados para prestarem serviços educacionais; de alunos, que contribuem para o sustento da própria escola; ou de pais de alunos, em busca de uma melhor educação a seus filhos. Elas têm sido a solução em muitos lugares onde a situação do ensino está caótica.

Especial – constituídas por pessoas que precisam ser tuteladas ou que se encontram em alguma situação de desvantagem. Exemplos: deficientes físicos, sensoriais, psíquicos e mentais, condenados a penas alternativas à detenção, etc.

Habitacional – composto pelas cooperativas destinadas à construção, manutenção e administração de conjuntos habitacionais para seu quadro social.

Infraestrutura – elas prestam serviços de infra-estrutura como energia, telecomunicações, limpeza pública, segurança, reciclagem, etc.

Mineral – possuem a finalidade de pesquisar, extrair, lavrar, industrializar, comercializar, importar e exportar produtos minerais.

Produção – composto pelas cooperativas dedicadas à produção de um ou mais tipos de bens e produtos, quando detenham os meios de produção. Para os empregados, cuja empresa entra em falência, a cooperativa de produção geralmente é a única alternativa para manter os postos de trabalho.

Saúde – dedicam-se à preservação e promoção da saúde humana. Incluem médicos, dentistas, psicólogos, etc.

Trabalho – são de prestadores de serviços não identificados com outros ramos já reconhecidos.

Transporte – atuam no transporte de cargas e passageiros.

Turismo e lazer – prestam serviços turísticos, artísticos, de entretenimento, de esportes e de hotelaria.

Outros – Composto pelas cooperativas que não se enquadram nos ramos acima definidos.

Fonte: Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar).