Curitiba pode ganhar vias exclusivas para ônibus. A Urbs, gestora do transporte coletivo, informou que o projeto para desafogar o trânsito foi encaminhado ao governo federal no pacote de mobilidade urbana orçado em R$ 3,25 bilhões. Há duas alternativas em estudo: em horários determinados ou em caráter permanente. A prefeitura aguarda resposta da União sobre os recursos para implantar estas vias. A maioria dos usuários de ônibus e motoristas concorda com o projeto.

O vereador Valdemir Soares (PRB) propôs ao município que ruas de quatro faixas de tráfego tenham via exclusiva para transporte coletivo durante todo o dia, enquanto nas de três a via funcionaria apenas nos horários de pico (6h às 9h e das 17h às 20h). “Dessa forma, os ônibus não disputariam espaço com os carros”, afirma.

Soares estima que as vias exclusivas poderiam ser aplicadas em “pelo menos 40 a 50 ruas e avenidas, mas cabe à Urbs e à Secretaria de Trânsito identificar e definir essas vias”. O parlamentar cita como exemplo a Rua Mariano Torres. “Nos horários de grande fluxo, passam de 20 a 30 linhas que saem do terminal Guadalupe, na maioria metropolitanas. Os ônibus param e afogam o trânsito. Com o corredor exclusivo, recuperaríamos de oito a dez minutos”, explica.

Agilidade

A ideia partiu de exemplos em outras cidades. “Visitei várias cidades e vi essas pistas exclusivas. No Rio de Janeiro existe grande número de trabalhadores que passaram a deixar seus carros em casa e ir de ônibus depois dessa implantação”, ressalta. Em São Paulo, cita que os ônibus estão 40 minutos mais rápidos do que os veículos após adoção da via preferencial. Outra vantagem do modelo proposto, de acordo com o vereador, é o baixo custo. “Para a implantação, só é preciso tinta e boa vontade”, destaca.

Gerson Klaina

Aprovação de usuários

O tatuador Renato Alves  pega ônibus com frequência e acredita que as vias exclusivas para ônibus deixariam o trânsito mais organizado. O funcionário dos Correios Reinaldo Cézar, que usa o transporte coletivo diariamente, também acha a proposta positiva. “Em São Paulo está funcionando, acho que aqui também daria certo”, afirma.

“O trânsito em Curitiba está um caos e os ônibus, ainda mais quando tem canaleta, costumam demorar muito”, comenta o comerciante José Renato da Luz, que também aprova o projeto do vereador. Já o entregador Marcelo Antunes (foto) considera que é preciso cautela para implantação das vias exclusivas, pois acha que o tráfego de veículos pode ser prejudicado. “Tem ruas que os ônibus passam só a cada meia hora, então se implantar só atrapalharia o trânsito”, opina.