Os usuários do transporte coletivo de Curitiba estão enfrentando problemas na utilização dos equipamentos de recarga dos cartões de transporte. Na última quarta-feira, de acordo com a Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), um vírus derrubou parte do sistema que integra as máquinas, deixando boa parte dos equipamentos fora de funcionamento.

No terminal do Capão Raso, nenhum dos carregadores está funcionando por conta de uma falha no cabeamento das máquinas. Ontem, a Urbs confirmou falhas pontuais nos equipamentos nos terminais Pinheirinho, Fazendinha, e Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

Com as falhas nos carregadores, os passageiros relatam transtornos para utilizar os serviço de transporte. Segundo a promotora de vendas, Karina Aparecida de Oliveira, os carregadores não funcionam há mais de um mês.

Nesta semana, ela conta que precisou sair do itinerário para tentar carregar o cartão de transporte em outro terminal. “Outro dia eu paguei a passagem do meu bolso porque nenhum dos carregadores funcionava”, relata.

A mesma dificuldade teve a auxiliar de perecíveis Mariza de Ramos. “Hoje (ontem) de manhã eu tentei carregar no terminal do Pinheirinho e também não deu certo. Vou tentar carregar no terminal do Santa Quitéria. Se eu não conseguir, terei que pagar o valor da passagem”, diz.

Já prevendo o problema, a zeladora Elza Francisca Rosa afirma que procura carregar o cartão antes mesmo que os créditos acabem. “Não dá para confiar nessas máquinas. É melhor prevenir para não ficar sem a passagem”, conta.

Vírus

A assessoria de imprensa da Urbs informou que os equipamentos que estiveram fora de serviço na tarde de quarta-feira foram afetados por um vírus, que estaria derrubando os links que integram o sistema. Segundo o órgão, equipes de manutenção da Urbs estiveram trabalhando durante toda a tarde de quarta para resolver o imprevisto. O sistema voltou a ficar estável no início da noite.

Das 140 máquinas de recarga disponibilizadas pela Urbs, apenas seis máquinas no terminal do Capão Raso não estão funcionando por um problema no cabeamento. Segundo a Urbs, uma empresa especializada já está trabalhando para solucionar o problema.

A expectativa é de que as máquinas voltem a atender os usuários no terminal dentro de duas semanas. Quanto às falhas no funcionamento dos equipamentos nos outros terminais, a Urbs considera problemas isolados e já solucionados.

A Urbs também informou que eventuais falhas na comunicação dos equipamentos ao sistema são detectados automaticamente, já que são monitorados constantemente pela visualização de leds.