O IV Ato de Redução da Tarifa, que começou por volta das 18h desta quinta-feira (20), e saiu da Boca Maldita, seguiu em protesto pela região central de Curitiba. Segundo a Polícia Militar, três mil pessoas participam da manifestação.

Entre as diversas reinvindicações, está a questão de saúde. Dielen Mornino, de 26 anos, que tem uma filha de sete meses reclama que foi a uma Unidade de Saúde no Campo Comprido e não conseguiu médico.

O estudante Fernando Gouveia, 23 anos, disse que está cansado de toda esta situação em que o País se encontra. “Queremos mudança neste sistema que está em vigor. Não dá para continuar deste jeito”, desabafa.

Entre os gritos de guerra entoado por quem está na rua destacam-se dois: “Da Copa abro mão, quero saúde, transporte e educação” e o outro, mais ousado, “ei soldado, você está do lado errado”.

Assim como na “terceira edição”, realizada na segunda-feira (17), o trajeto não foi divulgado, mas os manifestantes se dividiram em dois blocos: um que seguiu diretamente até o Palácio Iguaçu e outro que seguiu por várias ruas da capital até a Prefeitura.

Os dois grupos se encontraram em frente à sede do governo estadual. Um princípio de confusão com corre-corre aconteceu por volta das 20h20, mas logo a situação voltou à normalidade. Muitos manifestantes se dispersaram no local e outros seguiram até a rodoferroviária, onde fica a sede da Urbs, e realizaram uma manifestação pacífica e cantaram o hino nacional.

Veja na galeria de fotos a manifestação.

O Paraná Online quer saber a sua opinião. Clique aqui e utilize o nosso espaço para se manifestar sobre os protestos.