Três navios foram desatracados do Porto de Paranaguá após os tripulantes apresentarem testes positivos para a covid-19. Segundo nota divulgada nesta sexta-feira (30) pela Portos do Paraná, a ação foi feita por orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As embarcações estão fundeadas cumprem quarentena.

O Navio MV Astakos (bandeira maltesa) estava atracado em um dos berços do píer do terminal privado, onde descarregava fertilizantes. A embarcação chegou no último domingo (25). Por determinação da Anvisa o navio desatracou no dia seguinte, segunda-feira (26), quando começou a cumprir a quarentena de 10 dias, ao largo.

LEIA TAMBÉM:

>> Mais de 180 mil doses da vacina da Pfizer são enviadas ao Paraná nesta sexta

>> Ministério da Saúde confirma envio de mais 332 mil doses de vacinas ao Paraná

Na última quinta-feira (29), outras duas embarcações registraram casos de covid-19 e tiverem que desatracar. O navio Meghna Princess (Bangladesh), carregava soja no berço 213, desde terça-feira (27). Já o Redhead (Antígua e Barbuda) carregava açúcar no berço 201, desde domingo (25).

A autoridade portuária esclarece que, no momento das atracações dos navios, não havia registro de nenhuma suspeita de covid-19. O único navio que permaneceu um período atracado, após a notificação, para remoção de tripulantes, foi o Meghna Princess. Os doentes foram removidos, a embarcação foi para a área de fundeio.

A empresa informou em nota que o monitoramento do estado de saúde dos tripulantes é de responsabilidade das agências marítimas e autoridade de saúde (Anvisa).

A Portos do Paraná segue com todas as medidas preventivas no acesso à faixa primária, com as barreiras sanitárias, e a exigência do uso de máscara em toda área portuária.