Foto: Walter Alves/O Estado

 Papai Noel e o pequeno Gabriel, de 3 anos, com seus brinquedos.

Quatro crianças da periferia de Curitiba foram as escolhidas para receber, das mãos do Papai Noel, seus presentes de Natal. Elas foram selecionadas entre mais de 17 mil cartas que foram enviadas para o programa Papai Noel dos Correios. Desse total, cerca de 6,3 mil correspondências são de crianças de zero a 12 anos e metade delas tiveram os pedidos atendidos com a colaboração da comunidade.

Neste ano a coordenação do programa resolveu visitar quatro crianças que moram em regiões próximas da Vila Hauer, e entregar os presentes que foram comprados por pessoas que vão até os Correios para selecionar os pedidos. A coordenadora do programa, Kátia Mayewski, comenta que as cartas endereçadas ao Papai Noel começaram a chegar em setembro, e até ontem já ultrapassavam 17 mil. "Todas as cartas são lidas e cadastradas e os pedidos são atendidos por pessoas da comunidade, que deixam os presentes para serem entregues pelos Correios", explicou Kátia. O campeão de pedidos neste ano foi a bicicleta, mas, segundo Kátia, houve pedidos de casinha para cachorro, emprego, fraldas geriátricas, tratamento de saúde, e claro, muitos brinquedos.

Emoção

Antes de deixar os Correios, o funcionário Joarez Antunes, que pediu para se vestir de Papai Noel, só pensava em controlar a emoção, mas mesmo antes de se encontrar com as crianças, já estava chorando. "Eu queria ser Papai Noel porque li uma carta onde um menino pedia material escolar.

Isso me comoveu porque lembrei do meu filho que nunca precisou me pedir isso. Tenho certeza que vou voltar diferente dessa experiência", declarou Joarez.

A primeira criança visitada, Beatriz Hass, não estava em casa e a boneca que ela ganhou foi entregue para a avó. Já Camila Czastka, de 9 anos, ficou surpresa quando viu a movimentação em frente a sua casa, e muito feliz quando Papai Noel desceu do carro carregando a bicicleta que ela havia pedido. Na cartinha, que ela enviou no mês de novembro, também pediu ajuda para o primo que sofre com problemas de alergia e para a avó que operou o olho. Camila, que sempre acreditou em Papai Noel, afirma que agora tem certeza que ele existe.

A mochila que Ana Paula Mendes, de 11 anos, pediu também foi entregue pelo Papai Noel, assim como a boneca para a prima Juliana Barbosa, de 7 anos. As duas crianças foram surpreendidas pela visita do bom velhinho e ficaram emocionadas com a surpresa.

O pequeno Gabriel Soares, de 3 anos, também teve o pedido atendido. Ele ganhou um tênis e um carrinho, e antes mesmo do Papai Noel deixar sua casa, ele já estava brincando com os presentes.

No final do roteiro, o funcionário Joarez disse que a emoção que sentiu de ser Papai Noel por um dia foi indescritível, pois sabe que para muitas crianças esse vai ser o único presente que vão ganhar. "Por um momento a gente perde a noção da realidade e parece que tudo é um sonho. Espero que as essas crianças nunca deixem de sonhar também", finalizou. 

Paróquia das Mercês promove Natal e Réveillon dos Solitários

As festas de final de ano, além da comemoração, sempre remetem à lembranças do passado e fazem despertar emoções fortes. Algumas pessoas têm dificuldades de lidar com essas situações, principalmente se estão sozinhas. E foi pensando nessas pessoas que a paróquia da Igreja das Mercês, em Curitiba, resolveu promover o Natal e Réveillon dos Solitários. As datas são celebradas em duas festas, que reúnem uma média de 150 participantes.

O pároco da igreja, Alvadi Pedro Marmentini, disse que a idéia de promover o Natal e Réveillon dos Solitários surgiu depois de ouvir muitos fiéis reclamarem que não tinham com quem celebrar as duas datas. "Nas cidades grandes as pessoas acabam não se encontrando, e isso vai gerando isolamento, solidão e depressão", diz Alvadi.

De acordo com o pároco, é cada vez maior o número de pessoas que vivem nessa situação. A prova disso é a procura pelas festividades na igreja. Há quatro anos, o número de pessoas que participavam do evento dos solitários era de 25 pessoas, e no ano passado, foi de 150 pessoas no Natal e 200 no Ano Novo. Para participar, explica o padre, basta ligar para a igreja. As ceias, nas duas datas, são elaboradas com doações da comunidade e dos próprios participantes. "E as sobras são partilhadas entre todos", disse o padre. (RO)

Serviço: Quem quiser participar do Natal e Réveillon dos Solitários precisa ligar para a igreja até sexta-feira através do telefone (41) 3335-5752.