Um levantamento feito pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) revela que quase um terço dos municípios do Paraná não registrou nenhum óbito por covid-19 durante todo o mês de julho, cerca de 35,5% dos 399. Outras 89 cidades tiveram um óbito (22,3%) e 42 municípios (10,5%) dois óbitos. Apenas 36 municípios tiveram mais de 10. Ao todo, 1.999 mortes foram notificadas pela doença no mês passado em 257 cidades.

Em números absolutos, desde fevereiro deste ano o Paraná não registrava menos de 2 mil óbitos no espaço de um mês. Já com relação aos municípios, somente em janeiro o Estado registrou mais de 140 cidades sem notificações, ou seja, seis meses atrás. Os dados são baseados na data de ocorrência das mortes e foram analisados nesta segunda-feira (02).

LEIA TAMBÉM:

>> Vacina da covid-19 chega para nascidos em 1988 nesta terça-feira em Curitiba

>> Reservatórios da Sanepar estão em alerta novamente e rodízio pode apertar na RMC

Além desse recorte, o número de óbitos ocorridos em julho é 58,5% menor que as notificações de junho, quando o Paraná registrou 4.819 mortes por Covid-19. A tendência de queda, conforme o avanço da imunização, também é percebida pela redução de 55% na média móvel de mortes (comparativo com duas semanas atrás) e pela oitava semana epidemiológica seguida com remissão, o que significa que há oito semanas o número de óbitos é menor do que os sete dias exatamente anteriores.

As cidades com mais óbitos em julho foram Curitiba (336), Londrina (125), Maringá (108), São José dos Pinhais (60) e Cascavel (57). Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.376.711 casos confirmados e 35.086 óbitos.

Nos últimos três meses (maio, junho e julho), além desses, outros nove municípios paranaenses não registraram óbitos: Braganey, Corumbataí do Sul, Francisco Alves, Itaguajé, Ivaté, Jardim Olinda, Perola D’Oeste, Pinhal de São Bento e Planaltina do Paraná.

Segundo a Secretaria de Saúde, o balanço aponta com clareza os impactos da segunda onda da pandemia no começo do ano, com a chegada da variante amazônica, mais contagiosa, num momento de vacinação incipiente. Entre março e junho, por exemplo, mais de 320 municípios registraram dias de luto, enquanto julho aponta para momento de freio na pandemia.

Confira os dados dos primeiros sete meses do ano:

Janeiro – 1.905 óbitos em 251 municípios – 148 sem mortes

Fevereiro – 1.980 óbitos em 276 munícipios – 123 sem mortes

Março – 6.350 óbitos em 353 municípios – 46 sem mortes

Abril – 4.286 óbitos em 333 municípios – 66 sem mortes

Maio – 4.594 óbitos em 334 municípios – 65 sem mortes

Junho – 4.819 óbitos em 337 municípios – 62 sem mortes

Julho – 1.999 óbitos em 257 municípios – 142 sem mortes