O governo federal autorizou a construção da primeira obra do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) no Paraná. O contrato de concessão da hidrelétrica de Mauá, nos Campos Gerais, foi assinado, em Brasília, nesta terça-feira (03), pelo ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, e o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Jerson Kelman. A usina será construída pelo consórcio Cruzeiro do Sul, que reúne Copel (51%) e Eletrosul Centrais Elétricas (49%). As obras, que dependiam da assinatura do contrato, devem começar neste semestre e a unidade entra em funcionamento em janeiro de 2011.

A Usina de Mauá aproveita o trecho do Rio Tibagi, entre Ortigueira e Telêmaco Borba, e terá potência instalada mínima de 350 megawatts (MW). Uma PCH (pequena central hidrelétrica), agregada ao empreendimento, adicionará potência de 12 megawatts, totalizando 362 megawatts. A hidrelétrica terá capacidade para fornecer eletricidade a uma cidade de quase 1 milhão de habitantes.

O reservatório da usina terá 80 quilômetros de extensão e 96 quilômetros quadrados de superfície. A barragem terá cerca de 700 metros de comprimento e 85 de altura máxima, empregando a tecnologia de concreto compactado com rolo. O volume total do maciço será da ordem de 580 mil metros cúbicos.