Foto: Ciciro Back/O Estado

Dirigir utilizando aparelho pode causar sérios acidentes.

O uso irregular de celular foi a segunda maior infração de trânsito registrada, no ano passado, em Curitiba, pelo Batalhão de Polícia de Trânsito (BPtran). Ao todo foram dois mil casos, só perdendo para o avanço do sinal vermelho. Segundo a tenente Débora Scremin, da assessoria militar do Departamento de Trânsito, a situação preocupa porque o uso do aparelho tira a atenção do motorista, podendo causar acidentes.

Desde que o novo Código de Trânsito Brasileiro entrou em vigor em 1998, o uso de celular enquanto o motorista está dirigindo é proibido. Mas parece que a população não tem dado muita importância. Em 2005 na capital, foram duas mil infrações, mas, segundo Débora, a quantidade de gente que usa celular é muito maior. Ela explica que os números não refletem a realidade porque as multas só são aplicadas quando um policial militar ou agente de trânsito visualiza a infração ou o condutor admite que estava ao telefone. "Mas nem sempre isso acontece", diz.

Algumas pessoas também usam fone de ouvido conectado ao celular, e outras o aparelho viva-voz. Nesses casos a fiscalização fica muito mais difícil. Débora explica que o problema de atender o celular não se restringe a apenas tirar a mão do volante, mas ao desvio da atenção. "Muda completamente o foco. Quando atendemos ocorrências é comum as pessoas falarem que não prestaram atenção porque estavam ao celular", afirma.

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) junto com a Universidade Estadual de São Paulo (USP) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro possuem estudos que comprovam os problemas que o uso de celular pode causar. Segundo o presidente da Abramet, Fábio Racy, uma das pesquisas foi feita com um grupo de pessoas em um simulador, e revelou que elas demoraram mais tempo para concluir o percurso. Além disso, o tempo de reação e o número de transgressões foi maior, em relação ao grupo que não estava ao telefone.

Racy destaca ainda que outros estudos feitos com aparelhos de ressonância magnética mostraram que o cérebro humano não consegue fazer duas coisas ao mesmo tempo, como, por exemplo, conversar e dirigir. Até o ato de tirar o celular da bolsa ou de outro lugar dentro do carro já desvia a atenção do motorista. Quem for flagrado conversando ao celular enquanto dirige paga multa de R$ 80 e acumula quatro pontos na carteira de habilitação.