Já está disponível nas unidades de saúde da Prefeitura de Curitiba a vacina contra a meningite C – doença meningocócica do sorogrupo C, responsável por 64% desses casos confirmados na cidade nos últimos 2 anos. A taxa de letalidade dessa doença é alta (17%) em relação aos demais tipos de meningites (6%). Devem ser vacinadas crianças de 3 meses a 2 anos.

A dona de casa Edna Zanluca leu num jornal que a vacina começaria a ser oferecida hoje e não perdeu tempo: levou seu único filho, Henrique, de 10 meses, para receber a primeira dose. O garotinho foi vacinado na Unidade de Saúde Mãe Curitibana, onde faz acompanhamento pediátrico. “É bom aproveitar e dar a vacina o quanto antes”, disse a mãe. Além dessa dose, Henrique receberá a segunda dose antes de completar 1 ano mais um reforço aos 15 meses.

Foi o que também fez o servidor público Joubert Brunatto Silva, que levou a filha Isadora, de 1 ano e meio para tomar a nova vacina. “A doença é grave e, por isso, o melhor é garantir a proteção o quanto antes”, disse. Diferente de Henrique, ela tomará apenas essa dose.

Devem tomar a vacina os bebês a partir de 3 meses de vida. A segunda dose será dada aos 5 meses. Quem tomar as duas doses no primeiro ano de vida, receberá também um reforço entre 12 e 15 meses. Já as crianças que tiverem completado 1 ano e ainda forem menores de 2 anos receberão apenas uma dose.

O esquema diferenciado se deve ao fato de o organismo das primeiras terem mais dificuldade de responder à estimulação da vacina que o das maiores – daí a oferta de maior número de doses.

Injetável, o novo imunizante é produzido na Alemanha pela indústria farmacêutica Novartis e distribuído pelo Ministério da Saúde para todo o Brasil. Trata-se de uma vacina combinada, resultado da associação da proteína extraída do envoltório externo de dois tipos de bactérias. Apenas crianças alérgicas aos seus componentes não podem tomá-la. Em geral, o imunizante provoca reações leves como febre de até 38,5º C e inchaço no local da aplicação.

Com a nova vacina – que custa entre R$ 120,00 e R$ 130,00 cada dose nas clínicas particulares – sobe para três o número de imunizantes com proteção contra tipos de meningites: tetravalente (contra difteria, tétano, coqueluche, meningite e demais infecções por Haemophilus influenzae tipo B), pneumocócica (meningites, pneumonias, sinusites e otites) e a antimeningocócica do tipo C.