A Secretaria de Estado da Saúde divulgou anteontem o boletim com o balanço final da campanha de vacinação do idoso, realizada de 12 de abril a 9 de maio. 83,3% da população com mais de 60 anos no Estado foi vacinada, o que corresponde a 692,7 mil pessoas.

O número ficou acima da meta mínima exigida pelo Ministério da Saúde, de 70%, e é o terceiro maior índice desde o início da campanha de vacinação no Estado, em 1999. No primeiro ano, foram vacinados 98,2%. Em 2000, o índice ficou em 75,6%, em 2001 em 84,6% e, no ano passado, em 76,2%.

“Nossa meta era superar os 80% e ficamos muito satisfeitos com esse índice de vacinação”, diz o secretário de Estado da Saúde, Cláudio Xavier. As 22 regionais de saúde do Paraná superaram a meta mínima exigida pelo MS.

A 22.ª Regional de Saúde, com sede em Ivaiporã, foi a que apresentou maior índice, vacinando 100% dos idosos. Em segundo lugar, ficou a 10.ª Regional, de Cascavel, que vacinou 88,9% da população com mais de 60 anos. A regional que teve menor índice foi a 3.ª, de Ponta Grossa, que atingiu 71%. Durante o período foram vacinadas em todo o Estado 32,6 mil pessoas fora da faixa etária.

Os idosos são um dos principais grupos que devem tomar a vacina contra gripe (vírus influenza) porque estão mais sujeitos a complicações, como pneumonia. Os estudos comprovam que a vacina ajuda a reduzir as complicações, hospitalizações e óbitos em mais de 50% dos casos.

A gripe é uma doença contagiosa e geralmente provoca febre alta, mal-estar geral, dor muscular, dor de garganta e tosse. Pode evoluir para doenças mais graves, como a pneumonia. O resfriado é causado por outros tipos de vírus e os sintomas são mais leves: irritação na garganta, coriza e febre baixa. Não há vacina contra resfriado.