A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, que previne a paralisia infantil, terminaria nesta sexta-feira (30), mas será prorrogada no Paraná até acabarem os estoques ou a cobertura atingir a meta de 95% do público-alvo — conforme recomendação do Ministério da Saúde. A decisão foi divulgada nesta sexta pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), que justificou o adiamento da vacinação por causa da baixa taxa de cobertura.

A vacinação contra a poliomielite vem registrando baixa cobertura em todo mundo há cerca de 10 anos, pelo menos há seis a taxa está abaixo da meta estipulada pelo Ministério da Saúde no Brasil e também no Paraná. Até esta quinta-feira (29), 55% das crianças do público-alvo foram vacinadas nesta campanha, cerca de 320 mil crianças. A meta do estado e imunizar 583 mil crianças.

LEIA TAMBÉMUnidades de Saúde de Curitiba têm vacinação contra poliomielite e outras doenças

A vacinação deve ser feita em crianças com 2 meses (1ª dose) 4 meses (2ª dose) e 6 meses (3ª dose). Há doses de reforço aos 15 meses e aos 4 anos de idade. A imunização pode ser feita em qualquer unidade de saúde próxima da sua região.

Sobre a doença

A poliomielite é uma doença contagiosa causada pelo poliovírus selvagem, que pode afetar o sistema nervoso e levar à paralisia parcial ou total. No Paraná, a doença não é registrada desde 1986.

Segundo a chefe da Divisão de Imunização da Secretaria da Saúde, Vera Rita da Maia, a única forma de evitar a paralisia infantil é manter a alta cobertura da vacina. Atualmente, o Paraná registra 14 notificações de paralisias flácidas agudas e, por esse motivo, os casos estão sendo monitorados.

No Brasil, a doença está erradicada desde 1994, no entanto há presença do vírus em outros países como Paquistão e Afeganistão.

Sintomas

Casos de paralisia infantil precisam ser notificados e controlados pela Vigilância Epidemiológica do estado. Por isso, é preciso estar atento aos primeiros sintomas, que podem ser febre, mal-estar, dor de cabeça, dor no corpo, vômitos, diarreia, rigidez na nuca e sinais de meningite. Pode haver súbita deficiência motora, assimetria na musculatura e flacidez muscular