Seguindo orientação da Secretaria de Estado da Saúde, Londrina está intensificando seu trabalho de vacinação contra a febre amarela. Ontem, 52 unidades básicas de saúde da cidade foram abertas, das 8h às 17h, para que um número maior de pessoas tivesse a oportunidade de receber a imunização.

?Londrina está localizada em uma área de risco intermediário de transmissão da doença. Porém, muita gente daqui viaja com freqüência para a área de fronteira com o Paraguai, que é de alto risco, e existe a possibilidade de macacos portadores do vírus da febre amarela se deslocarem até a cidade. Por tudo isso, a prevenção é fundamental?, diz a diretora de epidemiologia da saúde da Prefeitura de Londrina, Sônia Fernandes.

O objetivo é que, até o próximo dia 25, 120 mil pessoas sejam vacinadas. As doses estão sendo disponibilizadas a quem nunca as recebeu ou a quem as tomou há mais de dez anos. Até agora, foram detectados cinco casos de febre amarela no Paraná. Desses, dois eram autóctones, tendo ocorrido em Laranjeiras do Sul, na região oeste.

O principal transmissor da doença aos seres humanos é o mosquito Aedes aegypti, o mesmo da dengue.