O Paraná vai usar as vacinas da Janssen, fabricada pelo braço farmacêutico da Johnson & Johnson, para avançar na imunização contra a Covid-19 do quadro prioritário, com destinação das doses para um novo segmento: os trabalhadores da carga pesada. Serão contemplados profissionais do transporte coletivo rodoviário de passageiros; do transporte ferroviário; do transporte aquaviários; e caminhoneiros. A estimativa do Ministério da Saúde é que as doses cheguem ao Estado até esta sexta-feira (11).

LEIA MAIS – Pinheirinho é o bairro com mais casos e mortes por covid-19, apontam pesquisadores da UFPR

De acordo com o Plano Estadual de Vacinação, esse grupo é formado por 178,6 mil pessoas. Ainda não há um quantitativo definido, mas a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) trabalha com a perspectiva de 150 mil doses, seguindo o cronograma estabelecido pelo governo federal ao longo do ano.

Diferentemente de outras vacinas, a da Janssen requer a aplicação de apenas uma dose – os outros três imunizantes contra o coronavírus aplicados atualmente no País (Pfizer, AstraZeneca e CoronaVac) exigem duas doses.

LEIA TAMBÉM – Teve reação após a vacina contra a covid-19? Isso pode ser um bom sinal; entenda

Os imunizantes integram o primeiro lote com 3 milhões de doses disponibilizado ao País pela farmacêutica norte-americana e têm prazo de validade até 27 de junho, por isso a necessidade de distribuição e aplicação rápidas. No total, o Brasil firmou acordo com a Janssen para receber de 38 milhões de doses, com envios previstos para o 3º e 4º trimestres.

A temperatura de armazenamento e o transporte dos imunizantes não oferecem desafios à logística, já que podem ser preservados em geladeiras comuns, entre 2ºC e 8ºC, por até três meses.