Representantes dos 39 municípios que formam o Vale do Ribeira – considerado uma das treze áreas mais carentes do País – estiveram reunidos ontem em Curitiba para discutir programas de desenvolvimento para a região. O principal foco foram os resultados dos projetos desenvolvidos através da Agência de Desenvolvimento da Mesorregião Vale do Ribeira/Guaraqueçaba com a exploração da madeira. O segmento conseguiu gerar 1,3 mil empregos diretos nos últimos quatro anos, e só no ano passado gerou R$ 27 milhões com a industrialização e plantio de pinus.

De acordo com o diretor executivo da Agência de Desenvolvimento Mesorregional, José Carlos Becker, a atividade está instalada há vários anos na região, mas só agora é que iniciou o processamento da matéria-prima. Becker destaca que o principal ponto nesse momento é promover ações para que a atividade permaneça na região e continue gerando emprego e renda para a população. Dos treze municípios que fazem parte do Vale do Ribeira no Paraná, as cidades que concentram as atividades do setor madeireiro são Itaperuçu, Rio Branco do Sul, Dr. Ulisses, Cerro Azul, Bocaiúva do Sul e Tunas do Paraná este último concentra 41% das indústrias, com geração de 427 empregos diretos.

Produção

A produção de pinus na região tem origem em incentivos fiscais do governo federal ao reflorestamento na região, entre os anos 60 e 80, relata o engenheiro florestal da Emater Paulo Augusto de Andrade Lima. A atividade ganhou impulso nos últimos quatro anos, quando 54% das 74 empresas se instalaram. Nesse período, foram gerados 700 empregos diretos nas atividades de reflorestamento e colheita.

“O papel da Agência Mesorregional será, a partir desse estudo, não apenas lançar mecanismos de desenvolvimento, estimulando o plantio florestal em novas áreas, mas também o de manutenção desses empregos, que sem dúvida melhoraram a vida daquelas comunidades”, lembra. Lima acrescentou que a região tem solos e relevo fracos para a agropecuária, sendo esse um dos motivos para o plantio de madeira – a maioria, 98%, de pinus, contra apenas 2% de araucária e pinheiro – que hoje abastece o mercado de construção civil e indústria moveleira. “Além disso, tem a questão das estradas que dificultam o desenvolvimento dos municípios, e acaba inviabilizando algumas atividades”, falou. O Vale do Ribeira envolve 39 municípios do Paraná e São Paulo, com 29.945 quilômetros quadrados de áreas, e uma população de 737 mil habitantes.