O prédia histórico com as pichações no muro.

O prédio histórico do Instituto de Educação do Paraná, em Curitiba, inaugurado em 1922, têm sido alvo de vândalos. As marcas na pintura externa e alguns vidros quebrados registram a falta de respeito com o patrimônio público. Mas os problemas da instituição não param aí. As janelas da parte mais nova, construída na década de 70, precisam ser trocadas. Segundo o diretor, José Frederico de Melo, o custo de cada uma gira em torno de R$ 4 mil.

Melo já encaminhou pedido de verbas para a Fundepar no ano passado e aguarda resposta. Cada uma das 30 janelas tem 1 metro e meio de altura. Elas estão com as bases apodrecidas, a maioria precisa ser trocada. No entanto, o trabalho precisa ser feito de modo artesanal para que as características e os detalhes sejam preservados. Pelo cálculos do diretor seriam necessários R$ 120 mil.

Porém, Melo acha difícil que neste momento o governo estadual destine recursos para a troca. “Existem prioridades, como a construção de escolas”, disse. Para ele, uma das saídas seria realizar parcerias com empresas. “Foi assim que restauramos o vão central, respeitando às característica históricas”, afirmou. Quanto a pintura externa, ainda não há previsão para a obra e ele ainda não solicitou verba à Fundepar.

Falta de respeito

Mas tudo indica que há falta de respeito com o patrimônio público também entre alunos do Instituto. O diretor diz que cerca de R$ 300,00 são destinados mensalmente para a manutenção interna devido à depredação. O banheiro é o alvo principal, eles entopem os vasos e fazem pichações nas paredes. O diretor afirma que tem combatido está prática através de trabalhos de conscientização com pais e alunos.