Cerca de 60% das pessoas que buscam atendimento médico são pacientes com algum nível de depressão. A afirmação é da psicóloga Eliane Ferraz, que coordenou ontem em Curitiba o workshop As Intercorrências Emocionais no Tratamento das Doenças. Segundo ela, é importante despertar nos profissionais de saúde a identificação de reações emocionais que podem desencadear ou ser um sintoma de depressão. “A doença é considerada hoje a principal causa de incapacidade profissional”, disse.

Para combater a redução de produtividade, muitas empresas investem em cursos de motivação para os funcionários. Porém, destaca a psicóloga, muitas vezes a baixa produção está ligada a um quadro de depressão. “Com isso se acaba investindo em área errada, podendo até piorar o quadro”, afirmou.

“O governo precisa dar mais atenção para pesquisa e investir em campanhas educativas”, disse. Ela lembra que quanto mais cedo de identifica a doença, mais cedo começa o tratamento, cujos custos são reduzidos.