Ricardo e Emanuel iniciam amanhã (29) em Stavanger, na Noruega, a briga pelo segundo título de grand slam na temporada 2006 do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. A dupla, líder isolada do ranking mundial venceu o primeiro grand slam na Suíça, no último final de semana.

E o paranaense Emanuel entra em quadra buscando mais uma quebra de recorde na carreira, a conquista do heptacampeonato na etapa da Noruega, feito inédito para um atleta do vôlei de praia.  Mas Ricardo também não fica atrás e busca seu quinto título na etapa.

A atual dupla campeã mundial venceu as sete etapas já realizadas na Noruega. Em 99, Emanuel foi campeão ao lado de Loiola. Em 2000, Ricardo venceu ao lado Zé Marco.  Depois disso, Emanuel subiu no pódio em primeiro lugar em todos os anos seguintes. Em 2001 e 2002 com o então parceiro Tande e de 2003 a 2005 com Ricardo.

Para Emanuel apesar da boa fase da dupla, a conquista do hepta pode ser mais difícil do que parece. Além das duplas estarem se preparando ainda mais para enfrentá-los, o frio pode dificultar também.

?Primeiro tem o frio, cerca de 10 graus. Outro é a competitividade que está aumentando, bem pelo fato de estarmos jogando bem. As outras equipes estão entrando mais preparadas contra nós?, disse Emanuel.

Por outro lado, a seqüência de jogos no Mundial não é visto como desgaste pelo paranaense. Como Ricardo e Emanuel são a única dupla que esteve presente nas semifinais das cinco primeiras etapas do Mundial, o número de jogos é maior que dos adversários.

?Na realidade penso em cada semana isolada, isto me deixa tranqüilo em relação ao trabalho que tenho que fazer. Eu tento manter uma mesma rotina a cada semana, como se estivesse no Brasil?, explicou.

Ao contrário das outras etapas, no grand slam da Noruega, as duplas estão divididas em oito grupos de quatro. Os dois primeios de cada grupo se classificam para a fase eliminatória.

?É igual ao sistema de disputa da copa. Para nós não muda muita coisa não?, garantiu Emanuel