Empresas de diversos setores, organizações como o Sebrae, entidades do setor produtivo, bancos e instituições de ensino como a FAE Business School são parceiros da Prefeitura nas iniciativas de desenvolvimento econômico de Curitiba. Eles trabalham junto com a Curitiba S.A. em seis programas de apoio e capacitação de micro e pequenos empreendedores, formais ou informais.

Ao todo são 33 parceiros participando desde elaboração de projetos até capacitação dos empreendedores. "Essas parcerias são fundamentais pois o desenvolvimento de uma cidade não se faz apenas pelo poder público. Por isso, na gestão do prefeito Beto Richa, a Prefeitura está trabalhando para o resgate dessa política de envolvimento da sociedade", afirma o presidente da Curitiba S.A, Juraci Barbosa.

"Na verdade, o poder público deve atuar como indutor do desenvolvimento, abrindo caminhos para a sociedade participar e propondo programas e ações que não só incentivem a economia mas também promovam o desenvolvimento dos bairros, das comunidades mais carentes e de segmentos mais frágeis", afirma Juraci.

Programas

O mais novo programa implantado pela Curitiba S.A. é o Bom Negócio, lançado pelo prefeito Beto Richa para promover o desenvolvimento dos bairros. O primeiro a receber o programa foi o Jardim Gabineto, na Cidade Industrial de Curitiba.

O Bom Negócio tem como principal parceiro a FAE Business School, responsável pela formatação do programa, por algumas das palestras realizadas no início dos trabalhos e, na última fase que ainda será desenvolvida, pelo pagamento parcial dos estagiários que estarão acompanhando os pequenos empresários do bairro dentro de suas empresas.

Fábio Tadeu Araújo, coordenador da FAE Inteligência, diz que a parceria da instituição com a Curitiba S.A. atende a dois interesses. O primeiro deles de aplicação da missão da universidade, que é franciscana. "Além de formarmos alunos, temos o objetivo de melhorar a sociedade em que vivemos", diz. A parceria, segundo Araújo, atende obrigações de instituições de ensino que são de promover a pesquisa.

Além da FAE, o Bom Negócio tem como parceiros a Paróquia Santo Antônio de Órleans, Fesp, Sebrae, Senai, Senac, Associação Comercial do Paraná (ACP), Federação do Comércio (Fecomércio), Federação das Micro e Pequenas Empresas do Paraná e diversos órgãos da administração municipal.

Já o Curitiba Exporta, que capacita micro e pequenos empresários a entrar no mercado internacional, é o programa que engloba o maior número de parceiros. Ao todo são 17, entre eles a ACP, Banco do Brasil, Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e o Centro Integrado de Estudos Jurídicos e Empresariais (Cieje).

A Curitiba S.A. possui ainda o programa Curitiba Tecnológica, mais conhecido como ISS Tecnológico, incentivo que permite a empresas prestadoras de serviços a dedução no pagamento do Imposto sobre Serviços (ISS). Ainda neste mês, a empresa lançará o Parque de Incubadoras Empresariais que terá a missão de promover o desenvolvimento empresarial da cidade.

Entre os programas desenvolvidos pela Curitiba S.A. está também o Profissão Empresário, que tem o Serviço de Apoio à Pequena Empresa do Paraná (Sebrae) e a Prefeitura de Curitiba como parceiros no trabalho de apoio para a formalização de empresas.

O Sebrae também faz parte do programa Banco Social, que oferta microcrédito para pequenos empreendedores. O programa, do Governo do Estado, possui agências em todas as Ruas da Cidadania.

A gerente do escritório do Sebrae em Curitiba, Rosângela Angonese, também diz que a parceria com a Curitiba S.A. faz parte do papel da instituição, que é de promover o desenvolvimento por meio dos micro e pequenos empresários.

"O Sebrae é um supridor de apoio técnico para capacitação, gerenciamento e preparação de pessoas que desejam abrir o próprio negócio. Por isso, todos os projetos que participamos são destinados à promoção do emprego e da renda", explica.