O otimismo do mercado em relação ao saldo da balança comercial (exportações
menos importações) continua em alta. Tanto que o boletim Focus desta semana, que
traz a pesquisa da última sexta-feira com uma centena de consultores e analistas
financeiros, elevou de US$ 36,45 bilhões para US$ 37 bilhões a estimativa de
saldo no ano; e a perspectiva para 2006 também aumenta de US$ 30 bilhões para
US$ 30,48 bilhões.

A pesquisa do Banco Central mantém a expectativa de
US$ 10 bilhões para o saldo de conta corrente externa, que envolve todas as
transações comerciais e financeiras, menos juros; mas prevê elevação do saldo em
2006: de US$ 4 bilhões para US$ 4,20 bilhões. Também mantém a projeção de 4,40%
para o crescimento da produção industrial neste ano, e reduz de 4,50% para 4% a
estimativa de aumento da produção para o ano que vem.

Os analistas
consultados pelo BC não mexeram nos cálculos para o aumento do Produto Interno
Bruto (PIB) que é a soma das riquezas produzidas no país. Mantiveram projeções
de 3% para este ano e de 3,50% para 2006. Em compensação, reduziram de 51,40%
para 51,30% a estimativa de relação entre dívida líquida do setor público e PIB,
no encerramento do ano, e repetiram projeção de 50% para a relação dívida/PIB em
2006.

O boletim Focus mantém a projeção de US$ 15 bilhões para a entrada
de investimentos estrangeiros diretos em 2005, com possibilidade de US$ 15,46
bilhões no ano que vem. Isso, em um contexto no qual o dólar termine o ano
cotado a R$ 2,55 (R$ 2,78 em 2006) e a taxa básica de juros (Selic) caia dos
atuais 19,75% para 17,88% ao ano, até dezembro próximo, e para 15,75% no final
do ano que vem.