A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) lançaram, nesta quinta-feira, uma pesquisa inédita sobre o custo da produção de aves e suínos no país. Segundo o presidente da Conab, Jacinto Ferreira, esta será uma importante ferramenta para os agricultores.

Jacinto também considera que a pesquisa será importante para o governo, na definição de políticas de preços que garantam o bom desempenho da produção desses dois setores.

A Conab divulgou hoje o resultado desse primeiro levantamento que já tem o custo calculado em 10 estados: São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Ceará, Goiás). A pesquisa está disponível na página oficial da Conab: www.conab.gov.br.

"O objetivo desse estudo é mostrar todo o elo da cadeia, dando informações de caráter geral para todos os segmentos envolvidos, desde o produtor até a indústria", disse Jacinto. Neste levantamento, que teve a duração de seis meses, são mostrados os efeitos dos fatores que compõem os custos de produção dos maiores estados criadores.

Entre esses itens, estão os preços de insumos, custos com transporte e energia, impostos, depreciação de equipamentos e produtos veterinários. Com o resultado da pesquisa, a Conab poderá adotar a metodologia de preço de equilíbrio dos agentes produtores de milho, ração e frango.

Segundo dados da Conab, na balança comercial do agronegócio, a carne (ave, bovino e suíno) é o segundo produto mais exportado pelo Brasil. Entre os meses de janeiro a agosto deste ano a exportação chegou a 3,4 milhões de toneladas, ou US$ 5,3 bilhões. O Brasil é ainda o maior exportador de carne de aves no mundo, com 1,8 milhão de toneladas no mesmo período.

De acordo com Ferreira, o que se pretende com essa dinâmica proporcionada pelo levantamento "é negociar contratos razoáveis entre as indústrias e os produtores. E os produtores quando forem vender a sua produção terem a certeza de que estão fazendo um bom negócio ou se estão conseguindo cobrir os seus custos que tem na propriedade".

Os custos totais da produção de aves e suínos, conforme dados da Conab, variam atualmente entre R$ 1,21 no Mato Grosso e R$ 1,69 no Ceará. Para um criador de frango do Paraná, estado com o maior plantel, produzir um quilo da ave em condições de abate, por exemplo, ele gasta R$ 1,40. Em Santa Catarina, segundo produtor, o custo é de R$ 1,63 e no Rio Grande do Sul, de R$ 1,38.

Os técnicos da Conab consideram que, diante do quadro atual, em que o preço do quilo de frango vivo é de R$ 1,45, o produtor obterá lucro pagando até R$ 17,10 a saca de milho de 60 quilos.

Para se ter idéia da aplicação desse mecanismo, o preço médio atual da saca no Paraná é de R$ 15. No caso dos suínos, os custos de produção variam de R$ 1,53 no Mato Grosso do Sul a R$ 2,39 em São Paulo, sendo os maiores produtores Santa Catarina (R$ 1,80), Paraná (R$ 1,64) e o Rio Grande do Sul (R$ 1,95).