O candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, afirmou há pouco que o PSDB e o PFL mostram "uma situação de desespero", e sugeriu aos adversários que mudem a estratégia de campanha para enfrentarem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com o candidato, se a atual estratégia dos concorrentes continuar, "seguramente a derrota vai ser ainda maior do que está sendo", disse Mercadante, em referência ao desempenho de Lula nas pesquisas, que apontam para a reeleição já no primeiro turno.

"Tem uma lição na vida pública de que quando você cai no buraco, a melhor forma de sair é parar de cavar. Se eu pudesse dar uma sugestão para o oposição, seria que eles largassem as pás e repensassem a estratégia", afirmou Mercadante, que participou de encontro com prefeitos e lideranças do PT na região de Araraquara.

Mercadante voltou a retrucar as críticas feitas pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao PT e a Lula, chamando-o de "piromaníaco", por ter dito que Geraldo Alckmin, adversário de Lula na corrida eleitoral, deveria colocar "fogo na palheiro". "Para quem tem o rabo de palha, esse papel de piromaníaco não é recomendado", brincou Mercadante.

Sobre seu desempenho na campanha em São Paulo, cujas pesquisas apontam para a vitória do adversário José Serra também no primeiro turno, Mercadante voltou a citar sua eleição para o Senado em 2002, quando, um mês antes do pleito, as pesquisas o apontavam como terceiro colocado. "Um mês é muito tempo, eu venho crescendo, e tenho absoluta confiança de que vou para o segundo turno, como várias pesquisas regionais já mostraram", disse o petista. "Lula vencerá no primeiro turno, como tudo indica, e isso pode ser decisivo também para a minha vitória em São Paulo", concluiu Mercadante, que espera um amplo apoio de Lula em um eventual segundo turno na disputa estadual.