Brasília – A Petrobras vai assinar daqui a pouco, no Palácio do Planalto, seus primeiros contratos para a compra de biodiesel para ser misturado com o diesel tradicional, produzido pela empresa. Ao todo a Petrobras pagará R$ 50 milhões por 65,3 milhões de litros, a serem entregues até o fim do ano, por quatro empresas. A assinatura do contrato contará com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, e do presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli.

Os contratos referem-se ao primeiro lote de biodiesel, comprado pela Petrobras no leilão pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) em dezembro do ano passado. Dos 65,3 milhões de litros, 35,4 milhões de litros serão comprados da Brasil Ecodiesel, 17 milhões de litros serão vendidos pela Granol, 8,1 milhões de litros serão adquiridos da Soy Minas e outros 4,6 milhões de litros virão da Agropalma.

A Petrobras destaca que essas empresas, além das especificações técnicas da ANP, são detentoras do selo conhecido como "combustível social" uma vez que promovem a inclusão social e o desenvolvimento sustentável de agricultores familiares.

O biodiesel é um combustível produzido a partir de plantas oleaginosas, como o girassol, a mamona e o dendê. Com a compra de hoje a Petrobras está se antecipando à Lei 11.097 que prevê a obrigatoriedade, a partir de 2008, da adição de 2% de biodiesel ao diesel tradicional, vendido nas bombas de todo o País.