O presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, disse que a companhia continuará operando na Bolívia e que isso faz parte da estratégia regional da empresa. Segundo ele, a Petrobras representa 40% do Produto Interno Bruto (PIB) Industrial boliviano. "A Petrobras tem todo o interesse em continuar na Bolívia e continuará lá. Estamos aguardando a conclusão deste debate (sobre a Lei de Hidrocarbonetos) no país", afirmou Dutra.

A Bolívia vive uma crise política que tem como principal gerador de conflitos as porcentagens de cobrança sobre royalties do petróleo. Enquanto o presidente boliviano, Carlos Mesa, considera que a cobrança acima de 18% entravaria os investimentos no setor, os movimentos sociais querem a taxação de 50% sobre royalties.

O presidente da Petrobras acredita que se chegará a uma lei que "preserve o interesse do povo boliviano e que garanta retorno para os investidores, porque, em última instância, é isso que interessa a todos", destacou.