Rio ? O diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, disse hoje (15) que a estatal pode incluir novos projetos e a aumentar o volume de investimentos para os próximos anos na área de gás natural.

Segundo ele, o plano de negócios para o período de 2006 a 2010 prevê recursos de US$ 16 bilhões na área de gás e energia, o que permitiria à empresa chegar ao final da década com a oferta de 100 milhões de metros cúbicos de gás natural ? dos quais 70 milhões de metros cúbicos produzidos no Brasil.

O novo plano de negócios (de 2007 a 2011) deve ser divulgado até o final de junho. Além da possibilidade de novos projetos e do aumento dos investimentos para o setor, a empresa estuda a viabilidade de construção de plantas de regaesificação de gás natural liquefeito (GNL). As plantas seriam usadas para devolver a condição gasosa ao GNL importado pelo Brasil.

Barbassa ressaltou que a Petrobras pode ter problemas para ampliar os investimentos. "Recursos nós temos, pois nossa situação de caixa é confortável. O problema é a disponibilidade de equipamentos e serviços no mercado", afirmou. "É possível, sim, que venhamos a incrementar nossos investimentos na área de gás, mas para isso teremos que deslocar ou priorizar equipamentos para o setor", acrescentou.

Ele ressaltou que a empresa ainda não tomou uma decisão sobre os rumos que seguirá no que se refere ao setor, mas disse que eles serão influenciados pelas negociações que a empresa vem mantendo com o governo boliviano. "A evolução dessas negociações vão influenciar as ações da companhia. Estamos revendo, neste momento, o nosso plano de negócios para o período 2007 a 2010 e o novo quadro será levado em consideração".