Rio – A Petrobras realiza de 7 a 11 de agosto uma nova rodada de negociações com representantes da estatal boliviana do setor de petróleo e gás, a Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB).

Segundo informou a assessoria de imprensa da estatal brasileira, foram encerradas hoje reuniões entre técnicos das duas empresas sobre a revisão da cláusula de preços do contrato de compra e venda de gás, feito pela YPFB. Foi o terceiro encontro das duas estatais. A assessoria não revelou, entretanto, as alternativas examinadas pelas partes.

A questão do preço do gás boliviano teve início com a decisão do presidente da Bolívia, Evo Morales, de estatizar as atividades de petróleo e gás. A nacionalização das reservas de petróleo e gás da Bolívia, definida pela Lei de Hidrocarbonetos, começou a valer, na prática, a partir de 1 de julho.

Através de sua filial boliviana, a Petrobras responde por 24% da arrecadação de impostos, 18% do Produto Interno Bruto e 20% dos investimentos estrangeiros diretos da Bolívia. A empresa brasileira acumula investimentos US$ 1,5 bilhão desde 1994.