A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira a Operação Vaga Certa para combater um esquema de venda de vagas em universidades públicas e particulares nos Estados do Rio de Janeiro e do Ceará. De acordo com a PF, 50 policiais federais estão cumprindo nove mandados de prisão e oito de busca e apreensão. A quadrilha contava com a participação dos chamados "pilotos", jovens universitários que faziam as provas dos vestibulares no lugar dos verdadeiros candidatos. Eles recebiam R$ 6 mil por cada aprovação.

Além disso, o grupo ainda comercializava a venda de direito de transferência de universitários aprovados em universidades particulares para universidades federais e estaduais. Por cada uma dessas vagas a quadrilha recebia entre R$ 25 mil e R$ 70 mil.

A existência da organização criminosa foi comprovada pela prática reiterada de diversos crimes, como fraudes, utilização de identidades e de documentos falsos, falsificações de documentos, vantagem econômica, entre outros. A polícia também comprovou as ações da quadrilha por conta da organização hierárquica e da distribuição de tarefas entre os integrantes da quadrilha.