Brasília – A Polícia Federal desarticulou nesta quarta-feira (18) uma quadrilha especializada em aliciamento de travestis brasileiros para se prostituírem na Itália e na Espanha. Ao todo, estão sendo cumpridos mandados de prisão em Uberlândia (MG), Florianópolis (SC) e em Franca e São Paulo (SP), na Operação Caraxué, que significa proxeneta, aquele que vive da prostituição alheia.

Segundo nota da Polícia Federal, a quadrilha era liderada por um travesti de Uberlândia, conhecido como Loraine, que abrigava em sua casa, em Milão (Itália), pessoas que se prostituíam. Essas pessoas eram recrutadas em todo o Brasil, por indicação de outros travestis e por meio de consultas na internet. Os travestis precisavam desembolsar cerca de 10 mil euros para embarcar para a Europa.

A Polícia Federal ainda identificou a participação de uma empresa de turismo de Uberlândia no esquema. As investigações mostraram que a empresa vendia passagens aéreas para os travestis em condições extremamente facilitada e desconfiou da intimidade entre o sócio da empresa e um dos integrantes da quadrilha.

A quadrilha foi monitorada, durante três meses, a partir de denúncias de aliciamento de travestis na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. De acordo com a PF, foram identificados aliciadores em todo o país.

A PF também comunicou à representação policial da Itália e da Espanha no Brasil a deflagração conjunta da operação nesses países.