O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, que renunciou na segunda-feira (1) ao mandato de deputado federal, será chamado para depor na Polícia Federal. Os investigadores querem explicações sobre a destinação do dinheiro sacado das contas do empresário Marcos Valério, apontado pelo deputado Roberto Jefferson como responsável pelo suposto pagamento de mesadas a parlamentares do PP e do PL.

Ontem, em depoimento ao delegado Luiz Flávio Zampronha, o antigo tesoureiro do PL, Jacinto Lamas, confirmou que fazia saques nas contas bancárias das agências de publicidade de Marcos Valério no Banco Rural. Segundo Lamas, os saques teriam sido feitos a pedido de Valdemar Costa Neto e eram levados para a residência do presidente do partido.

Lamas disse que os recursos eram destinados para a campanha eleitoral, mas não soube explicar seu uso dentro do partido. Os investigadores vão pedir ao PL e ao PP comprovantes dos gastos para checar a destinação do dinheiro sacado das contas de Marcos Valério.

Na semana passada, João Cláudio Genu, ex-chefe de gabinete do deputado federal José Janene (PP-PR) prestou depoimento à PF. Ele confirmou que recebia dinheiro da gerente financeira da SMP&B, Simone Vasconcelos.

Os pagamentos para Genu eram feitos no hotel em que se hospedava e no próprio Banco Rural. Lamas, por sua vez, recebia o dinheiro no Banco Rural, no hotel e na agência SMP&B.