O plano emergencial de obras, lançado pelo prefeito Beto Richa no início de janeiro, recuperou cerca de 190 quilômetros de ruas, em menos de 30 dias. Esse número é a soma de trechos trabalhados, em todas as regionais da cidade. Ao todo, 278 ruas receberam equipes de manutenção. Na regional Matriz, em três semanas, foi possível recuperar 1.200 metros de calçadas. Trinta e sete ruas da Matriz receberam obras da operação de tapa-buracos.

O balanço foi apresentado pela Secretaria Municipal de Governo nesta semana e aponta que apesar das chuvas de janeiro foi possí­vel avançar com o trabalho e que pontos importantes tiveram suas condições de uso restabelecidas.

O plano emergencial prevê investimento imediato de R$ 3 milhões na recuperação da malha viária que estava sem manutenção desde outubro do ano passado. São obras e serviços de tapa-buracos, ensaibramento, desobstrução de galerias, limpeza de valas e canais e recuperação de calçadas.

"Tomamos essa iniciativa, diante da situação precária verificada em inúmeros pontos da cidade, uma vez que o serviço de manutenção estava paralisado há mais de três meses", diz o prefeito. "O trabalho é uma ação rápida para atender as necessidades mais urgentes. Ao mesmo tempo, está sendo feito um planejamento de manutenção permanente para evitar de vez estes problemas e resolver as dificuldades das comunidades", afirma Richa.

A frente de trabalho está presente nos 75 bairros da cidade. Há obras sendo realizadas, simultaneamente, nas regionais Matriz, Boqueirão, Cajuru, Boa Vista, Santa Felicidade, Portão, Pinheirinho, Bairro Novo e na recém criada regional da CIC.

Registros do Sistema de Meteorologia do Paraná mostram a ocorrência de chuvas em 19 dos 31 dias de janeiro o que exigiu, em alguns dias do mês, a suspensão dos serviços em algumas regionais. "Temos muito trabalho pela frente. As chuvas atrasaram um pouco o cronograma, mas vamos recuperar os três meses que estas ruas ficaram sem manutenção", diz Omar Sabbag, diretor da Secretaria Municipal de Governo.

Na Matriz, as ações foram definidas como prioritárias pela Administração Regional, junto com representantes de entidades da região. Nesta região, as maiores intervenções ocorreram nas ruas Desembargador Hugo Simas (Bom Retiro), Jacarezinho (Mercês), Nossa Senhora da Luz (Cabral) e Itupava (Alto da XV). Também já foram recuperados os trechos estragados na rua Padre Germano Mayer (Cristo Rei), na Jerônimo Durski (Bigorrilho) e na avenida Sete de Setembro, no centro.

Parceria

O balanço da Secretaria de Governo mostrou que também na Regional do Boqueirão os trabalhos avançaram, principalmente com manutenção de pavimento e drenagem. Nestas primeiras semanas, 36 ruas foram contempladas.

A agilidade nos trabalhos foi possível graças à  parceria com a comunidade. Há duas semanas, o administrador regional do Boqueirão, Paulo Morbis, conversou com lideranças locais sobre as necessidades mais urgentes de cada comunidade. "O diálogo nos ajudou a definir um cronograma de obras e avançar nos serviços de manutenção", disse o Morbis.

Na Regional Boa Vista as equipes de manutenção já passaram por 51 ruas de nove bairros. Foram recuperados 37 quilômetros de vias com pavimento e saibro. Além da pavimentação, as equipes de roçada iniciaram trabalhos nos bairros Pilarzinho, Santa Cândida e Bacacheri.

Nas primeiras semanas as equipes de manutenção de ruas ficaram concentradas no Pilarzinho, Santa Cândida, Bairro Alto, Bacacheri, Barreirinha, Boa Vista, Tingui, Tarumã e São Lourenço. "Os trabalhos foram iniciados pelas ruas onde circulam as linhas de ônibus e vias próximas aos equipamentos da prefeitura", explica a administradora regional, Janaina Lopes Gehr.

A Regional de Santa Felicidade adotou o mesmo critério para priorizar as obras de recuperação. Ao todo, foram recuperados 35,5 quilômetros. Nesta regional, as principais ruas que receberam intervenções são a Via Veneto, a Manoel Ribas, a Toaldo Túlio, Fredolim Wolf e Eduardo Sprada.

No bairro Vista Alegre, foram trabalhadas a João Volpi, Professor Dario Garcia, Deputado João Ferreira Neves, Professor Antonio Carlos Raimundo, Ari José Valle, Professor Francisco Zardo e Bortolo Paulin, rua Inglês de Souza e Engenheiro Roberto G. P. Leite.

As equipes já passaram também na rua Doutor Eugenio Bertolli, na Lamenha Pequena, e na Nicolau José Gravina, no Cascatinha. O bairro de Santa Felicidade teve a rua José Risseto recuperada. De acordo com a Administração Regional, a situação das vias principais foi decisiva nesta primeira fase.

"As vias principais estavam sem manutenção há mais de três meses, por isso começamos os trabalhos por elas. Em seguida, serão recuperadas as ruas secundárias, onde circulam os ônibus alimentadores", diz Eduardo Fernandes Paim, administrador regional. Nos próximos dias devem chegar à regional equipes de roçada e drenagem.

Ele explicou que as chuvas dificultaram o deslocamento de equipamentos nas vias de saibro. No asfalto molhado, a manta asfáltica não fixa. "Mesmo tendo que suspender os trabalhos por três dias os resultados foram bem satisfatórios", afirma Paim.

A Regional do Cajuru já realizou a recuperação de 18 ruas. No Capão da Imbuia foram trabalhadas a Capitão Zeppin, a Coronel Jose de Carvalho de Oliveira, a Júlia Pasa, Travessa Ferreira, Niterói, Araguaia, Professora Antonia Reginato Viana e a Hayton da Silva Pereira.

No Uberaba, foram recuperados os trechos danificados das ruas Djalma Ferreira Lopes, Clóvis Bevilaqua Sobrinho, Gonzaga de Campos, Júlio Saavedra, Francisco T. Simas, Arlindo Natal e Flavio Mariano Ribas.

No Portão as equipes recuperaram doze quilômetros de ruas de antipó e revestimento primário (saibro), e realizaram 50 atendimentos de drenagem, como limpeza de caixa, troca de ralo, assentamento de tubos e limpeza de valas. Neste período também foram feitos dezesseis metros quadrados de roçada.

Obras de manutenção na malha viária pavimentada e nas ruas de saibro foram realizadas em 18 ruas da Regional do Pinheirinho – incluindo alguns trechos da marginal da BR- 476 (antiga BR-116). Os serviços de drenagem implantaram duas travessias, uma na rua Adelaide da Silva, e outra no Conjunto Santa Luzia. Na Moradia Timbori e na Vila Verde foi feita a desobstrução de galerias pluviais de água.

No Bairro Novo, onde a manutenção segue mais em ruas de saibro, o trabalho ficou mais prejudicado, mas mesmo assim foi possível recuperar 47 ruas.