A Prefeitura divulga nos próximos dias os resultados das consultas públicas realizadas nesta semana para apresentação e debate do Plano Plurianual (PPA) para o período de 2006 a 2009, e da Lei de Orçamento Municipal (LOA) de 2006. As consultas públicas foram realizadas ao longo da semana em todas as regionais.

As consultas, destaca o prefeito Beto Richa, são um instrumento de participação efetiva da população na definição dos projetos, medidas e ações a serem tomadas pela administração pública. "Quanto mais pessoas forem ouvidas, menor é a possibilidade de erro", afirmou o prefeito Beto Richa ao participar de consultas públicas na noite desta sexta-feira e agradecer a participação da comunidade.

Na noite desta sexta-feira (26) foram realizadas consultas públicas nas regionais Matriz, Cajuru e Boa Vista. Na semana já haviam sido realizados os encontros nas regionais Boqueirão, Bairro Novo, Pinheirinho, CIC, Portão e Santa Felicidade.

Para Richa, a participação popular é fundamental para que a administração municipal possa decidir onde investir, atendendo as necessidades das comunidades. "Como não há recursos para fazer tudo, precisamos da ajuda da população para definir as prioridades, as obras e ações que trarão melhorias à nossa cidade", afirmou Richa.

No Cajuru, onde passou primeiro, cerca de 200 pessoas ouviram o prefeito falar sobre as necessidades de Curitiba e o que já foi realizado nos seis primeiros meses da sua administração.

A urna para depósito das propostas da população lotou com 1.540 formulários indicando sugestões para a cidade. No formulário do Plano Plurianual, as pessoas puderam escolher cinco prioridades entre os 26 programas que a administração propõe que sejam desenvolvidos em 2006.

No formulário do projeto de Lei Orçamentária, a população indicou as três áreas que considera mais importantes para receber investimentos da Prefeitura, das 15 enumeradas no formulário (esporte e lazer, saúde, escola, segurança, cultura, coleta de lixo, transporte, trânsito, habitação, ação social, creche, iluminação, pavimentação, saneamento e outras).

Na Regional Matriz, mais de 100 pessoas enfrentaram a chuva e lotaram o auditório. Um grupo de 20 alunos de Enfermagem da Faculdade Rui Barbosa, acompanhado pelo professor Clemente Mikosz, levou várias sugestões. "Nosso objetivo é despertar a cidadania dos alunos e mostrar a importância da participação da população nas decisões que vão definir o futuro do município", disse Mikosz.

A Faculdade Unibrasil também incentivou seus alunos a contribuir nas discussões da LOA e do PPA. Por e-mail, mais de 200 estudantes enviaram suas sugestões. O diretor presidente da Unibrasil, Clémerson Cleve, ofereceu parceria em trabalhos sociais.

Entre os primeiros a chegar na Regional Matriz, Paulo Nascimento, presidente da Associação de Condomínios do Batel, e Ademir Moraes, da Associação de Amigos do Batel, levaram 29 reivindicações para a região, como revitalização de ruas, iluminação de calçadas, revisão de pontos para comércio ambulante e instalação de creche e posto de saúde.

Nascimento também colocou a associação à disposição da Prefeitura para parcerias em projetos sociais, culturais, esportivos e comunitários. "Esta audiência é uma oportunidade para apresentar reivindicações que são há muito desejadas pela população que habita, trabalha ou investe no Batel e em bairros limítrofes, como Água Verde e Bigorrilho/Champagnat", disse Nascimento.

Outro que acompanhou atento os debates foi o frei Aldeci Arcizio, do Centro Social Franciscano. "Se é uma audiência pública, significa que é um fórum aberto à população, então ela precisa se manifestar", disse.

Agora, a Prefeitura irá contabilizar as propostas feitas durante os debates nas regionais. As sugestões consideradas viáveis serão incorporadas nos projetos finais tanto do PPA como da LOA.

Os dois projetos serão enviados à Câmara até o dia 30 de setembro. Antes, porém, serão apresentados à população numa grande audiência pública, em data a ser marcada e amplamente divulgada pela prefeitura.