Para abrir as comemorações da Semana do Rio, a Sanepar iniciou, nesta terça-feira (22), o plantio de 80 mil mudas de árvores nativas para recomposição da mata ciliar nas margens da Represa do Iraí e do Rio Timbú. O evento aconteceu no Parque Newton Freire Maia, em Pinhais, onde também está sendo realizada a quarta etapa do projeto ?Educação Com Ciência?.

Os plantios no Iraí fazem parte do Programa de Proteção de Mananciais, coordenado pela diretoria de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar. O objetivo da empresa é plantar 130 mil árvores até 2006 nessas áreas. ?Antes de iniciarmos os plantios, foi feito um estudo para identificar a mata nativa da região, para respeitarmos suas características originais. Assim, em aproximadamente 10 anos, poderemos ter um bosque como o que havia aqui anteriormente?, explicou a diretora de Meio Ambiente e Ação Social da empresa, Maria Arlete Rosa.

Durante a cerimônia, a Sanepar também entregou mais seis motocicletas para o Batalhão de Polícia Florestal – BPFlo. Os veículos reforçarão a frota usada pela Força Verde para o patrulhamento das três barragens de abastecimento público de Curitiba e Região ? Iraí, Passaúna e Piraquara. A entrega dos equipamentos faz parte de uma parceria firmada entre Sanepar e Batalhão, com o objetivo de fiscalizar e coibir ações de pesca, caça e atividades de lazer nas barragens. ?Com essa parceria, estamos auxiliando a Força Verde a montar uma estrutura que garanta o patrulhamento e a preservação de nossos mananciais de abastecimento?, afirmou Maria Arlete.

Ciência e respeito à natureza

Segundo os organizadores do Com Ciência, mais de quatro mil pessoas, entre participantes e visitantes, passaram pelo Newton Freire Maia hoje. ?No evento, estamos discutindo a importância da Ciência na vida de cada um – e sua função principal é resolver problemas. O lixo que produzimos é um dos maiores problemas que temos, porque ele só tem três destinos: a água, o ar ou o solo. Todo o lixo que vai parar nos rios polui o que temos de mais precioso: a água da qual dependemos pra sobreviver. Por isso, é tão importante que a juventude pense a Ciência como uma forma de resolver também esse problema?, explicou o coordenador da área de educação do Parque, Sérgio Faria.