O PMDB é a agremiação que mais arrecadou recursos em todo o País para as eleições de outubro, englobando as campanhas para Presidência da República, governador, senador e deputados federal, estadual e distrital, em um total de R$ 32,451 milhões. Em segundo lugar, vem o PSDB, com R$ 25,097 milhões e, em seguida, o PFL, com R$ 21,677 milhões. O PT está em quarto lugar com uma arrecadação de R$ 20,751 milhões.

O PMDB também foi o partido que acusou as maiores despesas até agora – R$ 15,668 milhões por candidatos em todos os níveis. A maior fatia, de R$ 5,082 milhões, foi destinada às campanhas para os governos estaduais. Depois do PMDB, as legendas com maiores gastos foram o PT, com R$ 13,132 milhões, o PSDB, com R$ 10,442 milhões, e o PFL, com R$ 9,817 milhões.

O total divulgado equivale a 64,5% das prestações de contas parciais dos candidatos compilados pelo TSE, com base em dados fornecidos pelos tribunais regionais eleitorais até quarta-feira. O valor exclui o total arrecadado pelos comitês, pois, nos Estados, cada comitê presta contas de candidatos a cargos diversos.

Arrecadação

Entre os partidos que lançaram candidato à Presidência da República, o PT tem o maior volume de arrecadação – R$ 3,650 milhões. Juntos, os demais partidos que declararam receitas para o cargo de presidente da República – PDT, PSDC e PSL – têm R$ 33,848 milhões.

Para o cargo de governador, os partidos declararam receitas no valor de R$ 34,964 milhões. Individualmente, a agremiação que mais arrecadou nas campanhas para governador foi o PMDB, com R$ 9,798 milhões.

O PFL tem, até agora, R$ 2,207 milhões como receita para os gastos com a campanha para o Senado em todo o País. No total, os partidos informaram que arrecadaram R$ 10,296 milhões.

As agremiações declararam receita de R$ 48,632 milhões para o cargo de deputado federal. Quem mais arrecadou até agora foi o PMDB, com R$ 8,614 milhões. Para o cargo de deputado estadual, o valor total arrecadado foi de R$ 58,281 milhões. Mais uma vez, o PMDB aparece como o partido que mais arrecadou recursos, com R$ 11,170 milhões.

Despesas

O total de gastos acumulado pelos candidatos nessas eleições, no primeiro mês de campanha, equivale a R$ 79,885 milhões, incluindo despesas com deslocamentos, reuniões, comícios e demais atividades inerentes às campanhas para presidência da República, governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais.

De acordo com as declarações transmitidas pelos TREs, quem mais gastou até agora foram os pretendentes aos legislativos estaduais e federais, no total de R$ 53,298 milhões. Ao mesmo tempo, os candidatos aos governos dos Estados e do Distrito Federal tiveram despesas de R$ 18,586 milhões. Já os que disputam uma vaga no Senado gastaram R$ 4,433 milhões no primeiro mês de campanha.

Os partidos menores tiveram despesas quase simbólicas em termos de campanhas eleitorais. Foi o caso, por exemplo, do PRB, que prestou contas de despesas no valor de R$ 13,644 mil, ou o do PSTU, que acusou gastos de R$ 1,605 mil.

As prestações de contas parciais dos candidatos e comitês, referentes ao primeiro mês de campanha, estão disponíveis para consulta na página do TSE na internet. O endereço é www.tse.gov.br , seção Eleições 2006, link informações sobre doações e gastos de campanha.