Tenente Heraldo do Batalhão do Polícia
Florestal mostra o palmito apreendido.

Duzentos e treze vidros de palmito em conserva foram apreendidos hoje, por volta das 6h da manhã, em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba. O produto, sem condições de ser comercializado, estava dentro de um furgão Fiorino que foi abordado por policiais na BR-116, durante uma blitz.

Segundo o tenente Heraldo Correia de Lima, da Polícia Florestal, os vidros de palmito não possuíam identificação que lhes indicasse a procedência. A suspeita é de que fossem ser comercializados em pastelarias e restaurantes de Curitiba, municípios da região metropolitana e litoral.

O consumo de palmito manuseado de forma incorreta pode traz uma série de riscos à saúde. Ao ser humano, o produto fabricado sem supervisão da vigilância sanitária pode causar butolismo. A doença é resultante de uma toxina produzida por uma bactéria Clostridium botulinum e pode ser fatal.

O motorista que transportava o produto irregular recebeu multa de R$ 6.930,00. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)